POESIA DE UM JOVEM RAPAZ/LATINO AMERICANO...

O sol não apareceu
Mas ele já esta em pé
Junto al sono mal saciado
Você leva sua fé
Emprego, empregado...
Já perdeu seus sentimentos
A vontade de viver
O social e o desespero
Seu comportamento padrão
Seu salário ao fim do mês
Um tapa na cara do cidadão
A desilusão mais uma vez
Ao sair do trabalho a diversão
A cerveja com os amigos
Pode não ser tão bom
Antes amigos do que patrão
Ao sair entorpecido
Pegar o ônibus super lotado
O patrão já foi esquecido
Pelo empregado acomodado
O caminho é longo poderá descansar
Isso se tiver onde sentar
Assim como outro ali dentro
Melhor isso do que rua, pedindo dinheiro.
Se ali sonhos se realizassem
O ônibus pararia na mesma hora
Uns curtiriam a noite
Outros iriam embora
A vontade de mudar é a maioria
Mas nossa voz amordaçada
A ditadura por traz da democracia
Mesmo assim o empregado caminha
Pelas ruas, escuridão...
Chegando em casa e relaxando
Em frente à televisão.

Nelson Giacomo Vidiello Junior