O CABOCLO DAQUI...

Observação:
Este Blog/ Força das Matas pertence à Ronita Eliane.
Todos os demais sites mencionados,são indicações deste blog/aos seguidores e visitantes.





JESUS,O GOVERNADOR DO MUNDO!!!

JESUS,O GOVERNADOR DO MUNDO!!!

Marcadores

sábado, 31 de julho de 2010

HUMILDADE...(CORA CORALINA)

HUMILDADE
Cora Coralina

Senhor, fazei com que eu aceite
Minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
E se perdeu nos caminhos errados
E nunca mais voltou.

Daí, Senhor, que minha humildade
Seja como a chuva desejada
Caindo mansa,
Longa noite escura,
Numa terra sedenta
E num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós
Minha cama estreita,
Minhas coisinhas pobres,
Minha casa de chão,
Pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
Debaixo do meu fogão de taipa,
E acender, eu mesma,
O fogo alegre da minha casa
Na manhã de um novo dia que começa.

O AMOR INFINITO DE DEUS...!!

Olhe a sua volta e veja as obras do Criador.

Mas não lance um olhar de quem já está acostumado com a paisagem. Observe os detalhes. As folhas de uma mesma árvore não são iguais entre si.

Observe as tonalidades diferentes, a profusão de cores e formas. Veja a Perfeição.

Observe as pedreiras, as matas, os rios, o mar... Sinta o vento, as vezes brisa, espalhando as sementes, refrescando... sinta o ar entrando em seus pulmões.

Respire lentamente. Ouça os pássaros...

Agora olhe para dentro de si e perceba os detalhes que existem em você que foram criação de Deus.

Não as suas roupas... mas sua perfeição. Observe o quanto você tem se degradado, tanto quanto tem degradado a natureza.

Tudo criado por Deus é perfeito! Veja a sua própria perfeição.

Continue respirando lentamente e perceba o quanto cada um de nós faz parte de Sua Obra.

Estes foram exemplos físicos e visíveis da Criação...

Agora esvazie a mente! Apenas sinta! Visualize-se em um lugar que para você é seu refúgio pessoal, seu altar, seu templo pessoal.

Sinta o Amor de Deus! Perceba o quão infinito Ele é!

Perceba que embora erremos tanto, degrademos tanto a nós mesmos, ainda assim somos capazes de sentir o Seu Amor! Isso porque esse Amor é mais forte que tudo. Está acima de todas as convenções humanas. É o poder do Criador.

Receba as bênçãos de Deus!

Ele as dá todos os dias e todas as horas.

Não se feche! Receba-as e fortaleça-se!

Perceba o quão forte você é, pois você tem Deus dentro de si!

Foi essa Força, a Força desse Amor, que fez o Mestre Jesus superar todas as dores impostas pelo mundo!

Você também tem essa Força, basta usá-la e para isso basta senti-La, buscá-La!

Olhe para o seu irmão com amor!

Quanto mais amar mais terá a Força de Deus dentro de Você, pois o Amor de Deus é Infinito!

Caboclo Pery

Um Filho de Deus como Você


Médium Iassan Pery

INDO AO GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO...

O paciente irá mentalmente à procura do Criador. Irá em busca do Grande Projetista das Virtudes – sem figura legendária, sem localização espacial nem tempo porque Ele está em seu interior, no íntimo de cada um de nós. E tentará dialogar com Ele, no silêncio da meditação serena e da prece convicta. Para quem não está habituado a esta prática salutar, poderá tudo isso parecer difícil; no entanto, não o é. É fácil conversar com o Senhor da Vida, desde que nós O consideremos Pai amoroso, Justo e Bom. Por exemplo, segue um simplório modelo de como se pode formular tal contato com Ele. Ei-lo:
Pai, perdão pelos meus erros. Inspira-me para que sempre possa achar o caminho do cumprimento do meu dever espiritual. Que sempre eu possa tomar a força espiritual positiva que me rodeia e que me seja possível adquirir a cada dia mais fé, mais amor, mais caridade. Inspira-me para que eu possa tirar, de mim, todo pensamento e sentimento de orgulho, de vaidade, de amor-próprio, de inveja... Que eu possa tirar de mim a raiva e a ira. Que nada do que digam e façam os demais possa me incomodar nem me afastar. Mas que eu possa tirar de meu coração a soberba, a presunção; que eu possa substituir tais mazelas por uma crescente humildade de sentimentos.
Grande Ser Criador, quero ser manso e bom. Quero ser digno mensageiro portador de Tua palavra entre os homens, meus irmãos. Quero fortalecer os laços que me unem ao meu Guia Espiritual, para compreendê-lo e amá-lo, reconhecendo o que devo fazer no cumprimento do planejamento que prometi executar quando me preparava para esta presente vinda à Terra. E assim, meu Criador, quero manter aberto um como que canal de comunicação com o meu Amigo Espiritual, para que ele possa influir sobre o meu pensamento guiando-me pelo caminho certo do cumprimento de meus deveres morais.
Ó meu Pai, quero fortalecer os laços que me unem a todos os meus irmãos em Humanidade, para amá-los e juntos trabalharmos na construção da Paz. Quero ter a segurança e a serenidade para tratar sempre com discernimento todas as questões da vida terrestre. E assim, Senhor da Vida, que ninguém nem nada possa desviar-me do caminho do Bem Maior nem alterar a minha paz interior. Inspira-me para que eu sempre possa encontrar o caminho da Bondade, da Justiça e do Amor não decaindo o meu ânimo nos momentos de duras lutas e terríveis dificuldades. Ao contrário, pondo de lado atitudes pessoais, que eu possa sempre resignar-me ante Tua augusta vontade.
OBSERVAÇÃO: À luz da Visão Espiritual, a forma de nada vale. O que importa é o conteúdo. Quer dizer, orar com os lábios, e só com os lábios, não faz o menor sentido. É preciso que o coração participe da súplica. O paciente não há de ver no modelo que expusemos uma fórmula fixa, definitiva de prece ao Criador. Absolutamente! Faça sua prece ao Pai Celestial com suas próprias palavras abrindo as portas de sua alma ao Criador com sinceridade e amor, com confiança e fé. Transcrevemos aquela prece à guisa de mero exemplo para melhor orientar àquele que porventura ler este texto, escrito com a tinta emprestada do coração de um aprendiz. E nada mais que isto!
Um abraço fraterno, deste amigo peregrino!
Namaste!
Ad.
Por Ronaldo Adonai

TRANSPARÊNCIAS...

A vida é perfeita quando podemos vivê-la sem disfarces, sem meias palavras, sem meios tons.
É vivida de forma completa quando não sentimos a obrigação de disfarçar, nem emoções, nem sensações.
É vivida na verdade, e de verdade, quando não precisamos fingir o que não somos, negar o que pensamos.
Por que pensamos não ser educado deixar que nossas emoções transpareçam?
Mas, pra ser realmente feliz e viver plenamente a vida, é preciso, também, que sejamos verdadeiros, que acreditemos que não é vergonhoso demonstrar o que estamos sentindo.
Da mesma forma como não nos envergonharíamos de rir quando achamos graça, também deveríamos achar natural deixarmos que as lágrimas corressem quando sentíssemos vontade de chorar.
Se, para que a alegria permaneça por mais tempo, é preciso sublinhá-la com o som de uma risada, para não acumular mágoas é preciso deixar que elas se dissolvam nas lágrimas.

Paz lhe desejo!

Ad...
POR RONALDO ADONAI

A PAZ QUE TRAGO EM MEU PEITO...

A paz que trago hoje em meu peito
é diferente da paz que eu sonhei um dia...
Quando se é jovem ou imaturo,
imagina-se que ter paz é poder fazer o que se quer,
repousar, ficar em silêncio e jamais enfrentar
uma contradição ou uma decepção.
Todavia, o tempo vai nos mostrando que a paz
é resultado do entendimento de algumas lições importantes
que a vida nos oferece.
A paz está no dinamismo da vida, no trabalho,
na esperança, na confiança, na fé...
Ter paz é ter a consciência tranqüila,
é ter certeza de que se fez o melhor ou,
pelo menos, tentou...
Ter paz é assumir responsabilidades e cumpri-las,
é ter serenidade nos momentos mais difíceis da vida.
Ter paz é ter ouvidos que ouvem,
olhos que vêem e boca que diz palavras que constroem.
Ter paz é ter um coração que ama...
Ter paz é brincar com as crianças,
voar com os passarinhos,
ouvir o riacho que desliza sobre as pedras
e embala os ramos verdes que em suas água se espreguiçam...
Ter paz é não querer que os outros se modifiquem
para nos agradar, é respeitar as opiniões contrárias,
é esquecer as ofensas.
Ter paz é aprender com os próprios erros,
é dizer não quando é não que se quer dizer...
Ter paz é ter coragem de chorar ou de sorrir
quando se tem vontade...
É ter forças para voltar atrás, pedir perdão,
refazer o caminho, agradecer...
Ter paz é admitir a própria imperfeição
e reconhecer os medos, as fraquezas, as carências...
A paz que hoje trago em meu peito é a tranqüilidade
de aceitar os outros como são,
e a disposição para mudar
as próprias imperfeições.
É a humildade para reconhecer que não sei tudo
e aprender até com os insetos...
É a vontade de dividir o pouco que tenho
e não me aprisionar ao que não possuo.
É melhorar o que está ao meu alcance,
aceitar o que não pode ser mudado e ter lucidez
para distinguir uma coisa da outra.
É admitir que nem sempre tenho razão e,
mesmo que tenha, não brigar por causa disso.
A paz que hoje trago em meu peito é a confiança
naquele que criou e governa o mundo...
A certeza da convicção de que receberei,
das leis soberanas da vida,
o que a elas tiver oferecido.

(desconheço autoria)



"As coisas mais lindas da vida, não podem ser vistas nem tocadas...
mas sim sentidas pelo coração"
Namastê!

UMA MENTE CLARA

A verdadeira natureza é pura e profunda
Como a água clara e calma.
Se batida com o ódio ou o amor,
Surgem ondas de irritação.
Surgindo sem cessar,
A própria natureza torna-se turva.
Irritação e ignorância
Sempre aumentam inconscientemente. O "eu" agarrando um "outro"
É como a lama entrando na água.
O "eu" movido por um "outro"
É como jogar gordura no fogo.
Enquanto o reino externo for o caos, o "eu" será verdadeiro.
Enquanto o caos for tomado por real, o "eu" nascerá.
Se o "eu" não nascer,
As irritações, queimando por éons, transformam-se em gelo. Assim, os perfeitos
Primeiro esvaziam a mácula do "eu".
Quando a mácula do "eu" for esvaziada,
Como o reino externo poderia ser uma obstrução?
A capacidade de se recuperar é a função
Do "eu" esquecido.
Assim que idiossincrasias aparecerem,
Nós as reconheceremos imediatamente. O objetivo do reconhecimento é a iluminação.
No instante em que um pensamento retornar ao brilho,
Todos os rastros serão limpados.
Esse momento é refrescante.
Refrescante, brilhante,
Inigualável, independente,
Tranqüilo, harmonioso,
Nada pode igualá-lo.
Namastê!
por Ronaldo Adonai

NA DIREÇÃO DO BEM MAIOR

Paz!
Esperarmos primeiro o advento de boas chances para somente então efetuar nossos esforços rumo à evolução no setor do espírito é desconhecer os naturais entraves perante o que se debate o homem, quando se observa as suas maiores necessidades de espiritualização.
Nós somos o que de nós fazemos. Assassinos, se nos deixarmos arrastar pelo crime. E virtuosos, se fizermos esforços gigantescos no cultivo da virtude.
Ser maldoso é mais fácil do que ser honesto e bom. Porque aderir ao mal não exige grandes esforços. É só deixar-se levar pelos exemplos negativos e endividar-se, cada vez mais, perante as Leis de Deus. Contudo, ser bom é extremamente difícil, uma vez que para endereçar-se no caminho do Bem, o homem não deverá basear-se nos exemplos e no proceder da coletividade que, de maneira geral, age apenas de conformidade com o Bem, aparentando e demonstrando-se exteriormente como pessoas boas.
Destarte, andar razoavelmente vestido pelas ruas, na sua mão de direção, obedecendo às regras gerais de trânsito e do bom proceder, de barba aparada e cabelos penteados, de maneiras educadas, poderá parecer ao cidadão, entre estas e outras exterioridades, que ele se mantém dentro das normas, dos bons costumes. Desde que tenha emprego ou pague as contas, more numa casa limpa e mande os filhos à escola, pronto. O conceito positivo do cidadão manter-se-á assegurado.
Todavia, quão longe da verdadeira virtude estará ele se além desse aspecto formal do viver decente não se colocar também alicerçado na maneira evangélica de exercer seu papel dentro da sociedade a que pertence!
Quão importantes são para ele, para sua consciência em face da condição de criatura imortal e eterna, as ações dignas e endereçadas ao exercício livre da fraternidade, do amparo aos irmãos, na execução de um ideal maior, em que não se vejam apenas as necessidades comezinhas dele próprio, de um só elemento humano, mas de toda a coletividade.
Essa maneira de agir certamente se identifica como a do homem de bem, com a do cidadão que, além de pensar em sua pessoa e nas de sua família, pensa em termos de humanidade, integrado num todo de harmonia e bondade, num complexo humano total que visa a redentorização e a formulação de novos encargos vivenciais uma vez que a Misericórdia do Grande Arquiteto do Universo assim o propicia.
Manter os olhos pregados nas Leis do Amor e do Perdão, distanciar-se das inúmeras oportunidades do agir egoístico e superficial, perceber o muito que se erra a seu redor mas sem incidir nos mesmos padrões de erro, eis os principais escrúpulos que a maior parte dos cidadãos considerados “de bem” pela sociedade a que pertence, não têm.
Para ser honesto não basta deixar em branco as oportunidades para o roubo bem como ser cumpridor do dever não se reduz a chegar ao trabalho na hora certa.
O viver o exercício da Evangelhoterapia implica em muito mais e não há necessidade do cidadão buscar muito longe o rol dos seus deveres porque dentro de si ele se mantém vigilante e severo a apontar-lhe, lá no imo do ser, as suas obrigações maiores: A CONSCIÊNCIA.
Não fora esta realidade e jamais teríamos as atitudes desassombradas e másculas dos seres que se dedicaram ao Bem da humanidade conferindo a isto, todos os instantes de suas vidas.
Aí está: evolução é luta superior, é dedicação e trabalho e, acima de tudo, é esforço de CONSCIÊNCIA!
Desejo-lhe, sinceramente, que sejas feliz!
Namastê!
Por Ronaldo Adonai

PRECE...

Que eu tenha a capacidade de estar só.
Ausente de todas as coisas que me impedem
de ver a luz que emana da divindade do meu ser.

Que eu possa entender
a mensagem silenciosa de fé e de esperança
que a natureza nos envia,
a cada dia,
através do simples existir de todas as criaturas.

Que eu saiba me despojar
de todo o peso do meu orgulho
e da minha vaidade,
assim como a flor que desabrocha
em toda sua beleza e perfume,
feliz, apenas, por ser uma flor.

Que eu me esqueça,
deixando a minha mente limpa,
vazia dos meus temores,
ansiedades e preocupações,
livre de todas as amarras.

Que eu possa estar só,
e, assim, penetrar na prece
de alma lavada,
espírito livre e coração de criança,
pronto para falar com Aquele
a Quem pertenço.

Assim É!
Namastê!

Por Ronaldo Adonai

A ÁGUA DA PAZ

Água da Paz
Era muito comum, antes do início das sessões no Centro Espírita Luiz Gonzaga, em Pedro Leopoldo, algumas pessoas não esclarecidas provocarem discussões sobre mediunidade.
Várias vezes Chico se irritava,
pois, por mais que tentasse explicar, não era compreendido.
Numa das vezes, sua mãe compareceu e lhe ensinou: “para terminar suas inquietações use a água da paz”.
E lá foi ele agradecido procurar o medicamento em todas as farmácias da cidade, indo até Belo Horizonte.
Após duas semanas, não a encontrando, comunicou à sua mãe
o fracasso da procura.
Ela, sorrindo, respondeu: “não precisa viajar, o remédio está em sua casa...”
E esclareceu: "quando alguém lhe provocar irritações, pegue um copo com água, beba um pouco e conserve
o resto na boca. Não a ponha fora, nem a engula. Enquanto durar a tentação de responder, deixe
a água banhando a língua.
Esta é a água da paz."
Tão logo ouviu o conselho, tomou de papel e lápis e psicografou, do poeta Casimiro Cunha, o seguinte verso:
“Meu amigo, se desejas
Paz crescente e guerra pouca
Ajuda sem reclamar
E aprenda a calar a boca!”


_Chico Xavier_

A CARIDADE E VOCE

CARIDADE E VOCÊ


Acredita você que só a caridade pode salvar o mundo; entretanto, não se demore na posição de comentarista.


Não nos diga que é pobre e incapaz de contribuir na campanha renovadora da sublime virtude.

Senão vejamos: Se você destinar a quantia correspondente a um refrigerante ou um aperitivo em cinco doses, segundo os seus hábitos, aos serviços de qualquer hospital, no fim de um mês haverá mais decisiva medicação para certo doente.

Se você renunciar ao cinema de uma vez em cada cinco, endereçando o dinheiro respectivo a uma creche, ao término de duas ou três semanas, a instituição contará com mais leite em favor das crianças necessitadas.

Se você suprimir um maço de cigarros em cada cinco de seu uso particular, dedicando o fruto dessa renúncia a uma casa erguida para os irmãos distanciados do conforto doméstico, em breve tempo o agasalho devido a eles será mais rico.

Se você economizar as peças do vestuário, guardando a importância equivalente a uma delas em cada cinco, para socorro ao próximo menos feliz, no fim de um ano disporá você mesmo de recursos suficientes para vestir alguém que a nudez ameaça.

Não espere pela bondade dos outros.

Lembre-se daquela que você mesmo pode fazer.

É possível que você nos responda que o supérfluo é seu próprio suor, que não nos cabe opinar em seu caminho e que o copo e o filme, o fumo e a moda são movimentados à sua custa.

Você naturalmente está certo na afirmativa e não seremos nós quem lhe contestará semelhante direito.

A vontade é sagrado atributo do espírito, dádiva de Deus a nós outros, para que decidamos, por nós, quanto à direção do próprio destino.

Todavia, nosso lembrete é apenas uma sugestão aos companheiros que acreditam na força da caridade e só ganhará realmente algum valor se houver algum laço entre a caridade e você.



* * *



Xavier, Francisco Candido. Da obra: O Espírito da Verdade.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
FEB.

DEZ COISAS QUE LEVEI ANOS PARA APRENDER...

Autor: Luis Fernando Verissimo

1. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.

2. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu
(e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

3. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".

4. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você,
quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.

6. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

7. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

8. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.
(Esta é muito importante. Preste atenção. Nunca falha.)

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca.
Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic

DIANTE DO COSMOS


É madrugada, o silêncio envolve por completo o meu espírito... .
Irradiando júbilo, qual estrela derramando luz, venho depositar aos Teus pés a minha gratidão em prece ungida pelo amor.
Sinto os eflúvios emanados dos amigos espirituais que vem trazer as dádivas de uma orientação ou de um conselho amigo.
Adoro-Te, meu Senhor, na vibração de todas as coisas, porque aprendi a amar-Te, na expressão de todas as formas.
Emito o som da alma em festa e ele se faz palavra, que traduz o pensamento que a anima.
Possui uma tonalidade especial, porque, nascida nas fontes da emoção, do silêncio que me envolve, exterioriza-se, imaculadamente, tornando-se uma bomba vibratória que desarticula as densas trevas que predominam em meu interior.
Refletindo a minha consciência, emito a vibração que se integra ao ritmo da Consciência Cósmica em favor de todas as vidas.
Os homens, conforme também eu fazia antes, somente buscam a Verdade, quando estão mergulhados na fantasia; e apenas pedem, suplicam impondo os seus caprichos, rebelando-se, quando os mesmo não são atendidos.
Se recolhem bênçãos, mui facilmente as olvidam e perdem a graça de serem felizes, pois que as malbaratam, logo retornando aos hábitos comuns e doentios até a hora da próxima necessidade.
Não agradecem, não louvam, não retribuem.
Desejo eu agradecer, louvar e retribuir por todos os meus irmãos em humanidade que ainda assim não procedem.
Agradeço-Te, pois, através da sintonia que busco contigo, no fluir e refluir dos sentimentos elevados, alterando o rumo da existência, integrando-me na ordem geral e na harmonia reinante na Tua criação.
Louvo-Te em todas as manifestações da Tua glória sempre presente, respeitando-as conforme se apresentem, por saber que trazem o germe da vida a se desdobrar infinitamente em bênçãos e dádivas.
Retribuo-Te, saindo da concha do ego e buscando os meus irmãos que dormem, a fim de os despertar; aqueles que ignoram, para os informar; os outros que estão doentes morais, contaminados pelos vírus da descrença, do ódio, da revolta, da alucinação dos sentidos, para que se renovem e se acalmem, reencontrando o rumo que a Ti conduz, qual a mim próprio sucedeu.
Meu Mestre, Bem-Aventurado, a minha oração nesta madrugada, é um ato de vida, de amor à vida, de dedicação à Vida, que és em Tu.

Que assim seja!

Ad...
Por Ronaldo Adonai

VOCÊ É UMBANDISTA?

Você diz que é umbandista quando perguntado qual é a sua religião?

Você casaria (ou casou) numa tenda de umbanda, independente da vontade de sua família?

Você batizaria (ou batizou) seus filhos na Umbanda?

Você seria capaz de sair de branco, numa passeata ou procissão em louvor aos orixás?

Você respeita a natureza, enquanto Reinos Divinos dos Orixás?

Você acha que praticar a caridade não se resume em incorporar seus guias no terreiro?

Em suas orações, alem de pedir por sua família, pede também a Deus para abrandar os corações humanos?

Você desistiria de um passeio, viagem ou festa para não faltar a um trabalho normal do terreiro?

Você gosta de adquirir novos conhecimentos sobre mediunidades e umbanda, absorvendo principalmente através de palavras dos guias e mentores, do seu dirigente espiritual e também filtrando os textos dos diversos livros sobre os temas?

Você ama seu próximo como a si mesmo?

Se você disse mais NÃO do que SIM, preste atenção!!!!

VOCÊ AINDA NÃO É UMBANDISTA.

Mas pode ser... Pra isso, basta assumir sua religião!

Lembre que a Umbanda é fé, amor e caridade e disso, ninguém deve se envergonhar.

Seja bem-vindo! Oxalá te espera com braços abertos!


SARAVÁ,UMBANDA!!!

ACEITA-TE!

Diz a tradição egípcia que o Creador gerou o homem através da palavra. A palavra é o conjunto de vibrações com que a mônada foi emitida; a palavra é o potencial, são os atributos com que o Creador impregnou a sua creatura. És detentor da palavra, ela te permeia desde que "saíste" da fonte central do Universo, ela vai contigo vida em fora; é como se constituísses um conjunto de acordes sonoros emitidos pelo Cantor Celeste.

Tu és uma sinfonia única, mas teus irmãos também são outras tantas sinfonias, outros tantos acordes, outras tantas palavras proferidas pelo Creador.

O verbo, que no princípio estava com Deus, que no princípio era Deus e que se fez carne através de Jesus de Nazareth, faz-se também carne através de toda a Creação Divina, inclusive através de ti.

Aceita-te como uma emissão do Verbo Divino, aceita-te como alguém que faz falta no conjunto do Universo, aceita-te como uma nota sem a qual não estaria completa a sinfonia cósmica.

Delfos (Huberto Rohden)
Medium: Luiz Antonio Millecco Filho

O AMOR E SEU PODER

Acreditemos no amor e vivamo-lo plenamente.
Qualquer expressão de afetividade propicia renovação de entusiasmo, de qualidade de vida, de metas felizes em relação ao futuro.
O amor não é somente um meio, porém o fim essencial da vida.
Emanado pelo sentimento que se aprimora, o amor expressa-se, a princípio, asselvajado, instintivo, na área da sensação, e depura-se lentamente, agigantando-se no campo da emoção.
Quando fruído, estimula o organismo e oferece-lhe reações imunológicas, que proporcionam resistência às células para enfrentar os invasores perniciosos, que são combatidos pelos glóbulos brancos vigilantes.
A força do amor levanta as energias alquebradas, e torna-se essencial para a preservação da vida.
Quando diminui, cedendo lugar aos mecanismos de reação pelo ciúme, pelo ressentimento, pelo ódio, favorece a degeneração da energia vital, preservadora do equilíbrio fisiopsíquico, ensejando a instalação de enfermidades variadas, que trabalham pela consumação dos equipamentos orgânicos...
Situação alguma, por mais constrangedora, ou desafio, por maior que se apresente, nas suas expressões agressivas, merecem que nos nivelemos à violência, abandonando o recurso valioso do amor.
Competir com os não-amáveis é tornar-se pior do que eles, que lamentavelmente ainda não despertaram para a realidade superior da vida.
Amá-los é a alternativa única à nossa disposição, que devemos utilizar, de forma a não nos impregnarmos das energias deletérias que eles exalam ainda.
Envolvê-los em ondas de afetividade é ato de sabedoria e recurso terapêutico valioso, que lhes modificará a conduta, senão de imediato, com certeza oportunamente.
O amor solucionará todos os nossos problemas. Não impedirá, porém, que sejamos agredidos, que experimentemos incompreensão, mas nos facultará permanecer em paz conosco mesmos.
É possível que não lhe vejamos a florescência, naquele a quem o ofertamos, no entanto, a sociedade do amanhã vê-lo-á enfrutecer e beneficiar as criaturas que virão depois de nós. E isto, sim, é o que importa.
Quando tudo pareça conspirar contra os nossos sentimentos de amor, e a desordem aumentar, o crime triunfar, a loucura aturdir as pessoas em volta, ainda aí não duvidemos do seu poder. Amemos com mais vigor e tranqüilidade, porque esta é a nossa missão na Terra - amar sempre.
Crucificado, sob superlativa humilhação, o Grande Filósofo do Amor Incondicional prosseguiu amando e em paz, iniciando uma Era Nova para a Humanidade, que agora lhe tributa razão e amor.

Paz intensa lhe desejo!
Namastê!

Por Ronaldo Adonai

O SER EQUILIBRADO

Feliz é o ser que compreende a obra do Grande Arquiteto do Universo e intimamente agradece a bênção de tudo o que a Natureza lhe oferece. Desta forma, aproveitando melhor todos os dons, ele efetuará trabalho mais produtivo, aumentará seu poder criador e se transformará num entre mais refinado, e mais refinadas tornará todas as coisas ao seu redor, aproximando-se mais do Criador.
O homem que se harmoniza com os Projetos do Grande Arquiteto, sabe agradecer a chuva que cai, o calor da sua casa, o sol que ilumina a todos, a árvore que lhe dá frutos, os braços e pernas sadios que o ajudam a trabalhar, enfim tudo que o rodeia, mesmo o que o pode perturbar momentaneamente, uma vez que sabe ser tudo causas para que o seu espírito se torne vitorioso perante o Criador.
O homem confiante na Justiça Divina não teme as investidas da sombra. Caminha firme, sabendo que, em seguida ao encontro das pedras e espinhos, ele era flores e água fresca que lhe saciará a sede.
Todas as coisas que cercam os seres hominais são por eles compreendidas, acrescidas de beleza e utilidades, pelo seu esforço e inteligência; mas o homem só pode sentir-se realizado quando o seu entendimento alcança a necessidade de estudo espiritual, sacrifício e humildade que atingem a luz sem desapego das conquistas humanas.
Se considerarmos a primitividade que muitos seres terrenos vivem, enfrentando os maiores sacrifícios a fim de poderem sobreviver, e observamos que hoje, graças ao desenvolvimento tecnológico, já não precisam sofrer tanto desconforto, uma vez que estão à sua disposição eletricidade e outras forças, poderemos avaliar, com exatidão, o que será a Terra quando o homem equilibrado do futuro souber usar com harmonia o seu magnetismo dosado com fluídos espirituais.
Paz!
Ad.
por Ronaldo Adonai

O MUNDO REAL

Árido é o caminho daquele que caminha sem ouvir a sua voz que clama pelo Grande Arquiteto do Universo, desconhecendo o seu “eu” real e perfeito que é partícula divina, negando, assim, a sua maior realidade, perdendo-se em ilusões que só causam dor... .
Não nos detenhamos em observarmos só o que está embaixo e ao nosso redor! Olhemos para cima e procuremos ver além do que os nossos olhos alcançam!... . Então, nós sentiremos um mundo real e repleto de beleza espiritual, que nos dará maior compreensão do que acontece à nossa volta.
O homem, se utilizando de recursos naturais, pode fazer maravilhas tais como lagos artificiais, belos jardins, moradias requintadas. Quando todos os homens descobrirem que assim como constroem tais obras, poderão também construir um espírito bem dotado com capacidade de ver além do que a sua vista material alcança, transformarão a Terra num verdadeiro paraíso. Entretanto, o homem se encontra na infância do espírito, precisando aprender o ALFABETO DA ESPIRITUALIDADE.

Paz intensa te deseja, este amigo reconhecido!
Ad...
Por Ronaldo Adonai

CAMINHEMOS FIRMES

Sejam quais forem os meios de que dispomos, caminhemos firmes, uma vez que, embora nos falte muito do que a Civilização e a Natureza nos proporcionam, restam-nos pés e mãos sadios que nos possibilitam trabalho útil. Lembremo-nos, também, de que, se muito nos é dado, muito nos será exigido.

Todo caminho parece bendito quando o homem, após o dia de trabalho, volta à casa, mesmo enfrentando as maiores distâncias, tempestades, ventos e frio. Com a mesma disposição, devemos receber todos os sofrimentos e lutas do dia-a-dia, principalmente as provações mais difíceis, tendo a certeza de que, desse modo, conquistamos a felicidade eterna para os nossos espíritos em evolução e ainda comprovaremos QUE TUDO PASSA.

Namastê.

Por Ronaldo Adonai
Ad....

UMA VOZ VINDA DO INTERIOR/(POESIA)

Quedado da insônia da noite,
Perscruto o íntimo do meu íntimo,
Soluço no encontro do EU revolto,
Como se fora, dos homens, o último.

Observo o espaço e vejo o Infinito,
Os astros, como ribalta, brilhando,
As nuvens que inquietam o vento,
Silente dança de som saltitando.

À estrela mais linda pergunto
Se meus amores nela se escondem;
À estrela mais longe pergunto
Se nela se escondem meus afagos.

Lanço-me no espaço. Ardência.
Na lua procuro os meus risos,
Na estrela toda a paciência,
No cometa minha quietude. Amo.

Em vão derivo no espaço,
Na luz dos sóis procurando,
Ascendendo e descendendo,
Na sombra das espirais buscando.

Subo, subo, aos mais alto subo,
Ao Poder Maior, à paz, ao perdão,
Que diz, tronitoante: volva tua busca,
Pois que teu encontro está no chão

Onde estás, amado espírito gêmeo?

Em minha casa encontro o ninho,
Os meus filhos a eterna vida.
Mas onde se esconde, sem carinho,
O inebriar da doce felicidade?

Mansidão do pássaro, fúria da fera;
Remando do riacho, calmaria do lago;
Sêmen da flor, apostolado da bela.
Em nenhum lugar encontro a ti.

Por que não apaziguas meu coração,
Não aquietas o ardor dos meus seios,
Embalas meu sono no perfume dos sonhos
Não vives a vivência dos meus anseios?

Por ti roncam meus instintos incontidos,
Meu amor, meus afagos, minhas carícias,
Meus sentimentos revoltos e embutidos,
Meus sonhos, enlevos, minhas existências.

Nos sonhos tua lisa pele acaricio,
Nos enlevos teus lábios beijo,
Na existência teus remansos crio,
Tua imagem em meus olhos gravo.

Por que não vens, criatura,
Isenta da paixão mais impura,
Rica do sentimento mais nobre,
Carente do afago mais sincero,
Íntima como mulher escultura,
Viver a essência mais pura?

E eu poderei ter
Toda a existência de um
SER.

Namastê!
Ad...

Por Ronaldo Adonai

REGRAS DA FELICIDADE(ANDRÉ LUIZ)

Lembre-se de que os outros são pessoas que você pode auxiliar, ainda hoje, e das quais talvez amanhã mesmo você precisará de auxílio.

Todo solo responde não somente conforme a plantação mas também segundo os cuidados que recebe.

*

Aqueles que renteiam conosco nas mesmas trilhas evolutivas assemelham-se a nós, carregando qualidades adquiridas e deficiências que estão buscando liquidar e esquecer.

Reflita nos arranhões mentais que você experimenta quando alguém se reporta irrefletidamente aos seus problemas e aprenda a respeitar os problemas alheios.

*

Pensemos no bem e falemos no bem, destacando o lado bom dos acontecimentos, pessoas e coisas.

Toda vez que agimos contra o bem, criamos oportunidades para a influência do mal.

*

Mostremos o melhor sorriso - o sorriso que nos nasça do coração - sempre que entrarmos em contato com os outros.

Ninguém estima transitar sobre tapetes de espinhos.

*

Evitemos discussões.

Diálogo, na essência, é intercâmbio.

*

Se você tem algo de bom a realizar, não se atrase nisso.

Hoje é o tempo de fazer o melhor.

*

Estime a tarefa dos outros, prestigiando-a com o seu entusiasmo e louvor na construção do bem.

Criar alegria e segurança nos outros é aumentar o nosso rendimento de paz e felicidade.

*

Não contrarie os pontos de vista dos seus interlocutores.

Podemos ter luz em casa sem apagar a lâmpada dos vizinhos.

*

Você é uma instituição com objetivos próprios dentro da Vida, a Grande Instituição de Deus.

Os amigos são seus clientes e se você procura ajudá-los, eles igualmente ajudarão você.

*

Se você sofreu derrotas e contratempos, apenas se deterá se quiser.

A Divina Providência jamais nos cerra as portas do trabalho e, se passamos ontem por fracassos e dificuldades em nossas realizações, o Sol a cada novo dia nos convida a recomeçar.



(De "Na era do Espírito", de Francisco Cândido Xavier e J. Herculano Pires - Espíritos diversos)

DOIS SERES QUE SE CRUZAM

Encontro feliz entre dois seres é aquele que é guiado pelo equilíbrio proporcionado pelos que assimilaram o conteúdo benéfico da Evangelhoterapia diária, uma vez que unem-se duas forças espirituais que capacitam grandes serviços em prol de uma humanidade em que a compreensão brilhe, tornando a PAZ real.
Se dois seres se entendem e querem caminhar juntos a fim de fazerem o máximo de trabalho em prol da sua evolução e da melhora dos seus semelhantes, necessário se torna uma constante TOLERÂNCIA recíproca, uma vez que, dificilmente, o que se encontra na Terra, não tem ainda um defeito a corrigir e uma dívida a quitar com a consciência.
Dois seres que se cruzam e são tocados pela simpatia inexplicável para muitos, uma vez que são de raças e religiões diferentes, enchem seus corações de sofrimentos e ansiedades gerados apenas pela incompreensão de que para os espíritos não existem fronteiras....
Um dia, fatos assim não irão repetir-se, porquanto todos, na Terra, entenderão que são espíritos em ascensão com uma só linguagem: - a do AMOR.

Muita paz lhe desejo!

Namastê! Ad....rz
Por Ronaldo Adonai

DE QUE MANEIRA VÊS O MUNDO?

DE QUE MANEIRA VÊS TU O MUNDO?

De que maneira vês tu o mundo? De que maneira vês tu a vida? Para alguns, a vida é um devaneio e o mundo um parque de diversões; para outros, a vida é um tormento e o mundo um vale de lágrimas; para outros, ainda, a vida é um curso cósmico e o mundo uma escola.

Em que grupo te situas? Estarás dentre aqueles que se divertem, entre aqueles que matam o tempo, entre aqueles que se alienam voluntariamente, para não enlouquecerem compulsoriamente, ou te situarás entre aqueles cuja vida é um contínuo e eterno aprendizado, entre aqueles que buscam fazer do transitório o eterno ser? Se estiveres entre os que se divertem, sabe que, um dia, serás compelido a entrar em ti mesmo, serás como o filho pródigo ao menos pelo salário devido aos diaristas de teu pai; passarás, então, das diversões para a conversão. O homem que se diverte alheio a si mesmo, não consciente de sua unidade com o Cosmos, é como folha solta ao vento; o homem que se converte sabe que é uno com toda a vida e que a vida é parte dele; as diversões são as caricaturas da felicidade, a conversão é a felicidade sem caricaturas e sem ilusões.

Delfos (Huberto Rohden)
Médium: Luiz Antonio Millecco Filho

SEU CAMINHO INTERIOR...


Você busca Deus abraçando uma religião. Você deposita sua fé nessa religião, e se dedica a ela de modo inequívoco. Colabora e contribui. Freqüenta assiduamente as reuniões que ela promove. E quanto a você? Tem cuidado da sua mente para que ela flua bons pensamentos, e seja conseqüente no tocante aos seus atos? É paciente nas suas convivências e age lealmente com seus semelhantes, afastando-se dos que lhe querem mal ao invés de vingar? Tem noção da amplitude da caridade? É honesto na sua vida profissional, desgarrando-se da corrupção e das maldades e maledicências para sobressair? É um acusador nato, que procura defeitos constantes nos outros e nas opções de terceiros? Então perceba que às vezes você escolhe uma religião, porém não se escolhe. Porque a religião é apenas o veículo que também lhe mostrará o estado do seu próprio espírito. Descubra isso a tempo. Pois ao deixar a Terra, a religião permanecerá nela, e você levará apenas o conteúdo do seu espírito. E este conteúdo quem constrói é você e não a religião. Lembre de que nada adiantam rótulos atraentes envolvendo substâncias inadequadas. Entenda que você pode abraçar uma religião, mas deve sempre abraçar o seu próprio ser, descobrindo-se continuamente. Porque a religião lhe mostra o caminho, mas quem caminha é você.

Mensagem psicografada por Hur-Than de Shidha, a ser publicada no livro "Sabedoria da Criação"(Direitos integralmente cedidos pelo autor para a Editora do Conhecimento)
Editora do Conhecimento - Previsão de lançamento: 2004

A FELICIDADE DOS OUTROS


Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco.
Há no ar um certo queixume sem razões muito claras. Converso com mulheres que estão entre os 40 e 50 anos, todas com profissão, marido, filhos, saúde, e ainda assim elas trazem dentro delas um não-sei-o-quê perturbador, algo que as incomoda, mesmo estando tudo bem. De onde vem isso?

Anos atrás, a cantora Marina Lima compôs com o seu irmão, o poeta Antonio Cícero, uma música que dizia: "Eu espero/ acontecimentos/ só que quando anoitece/ é festa no outro apartamento" .

Passei minha adolescência com esta sensação: a de que algo muito animado estava acontecendo em algum lugar para o qual eu não tinha convite.
É uma das características da juventude: considerar-se deslocado e impedido de ser feliz como os outros são, ou aparentam ser.
Só que chega uma hora em que é preciso deixar de ficar tão ligada na grama do vizinho.
As festas em outros apartamentos são fruto da nossa imaginação, que é infectada por falsos holofotes, falsos sorrisos e falsas notícias.
Os notáveis alardeiam muito suas vitórias, mas falam pouco das suas angústias, revelam pouco suas aflições, não dão bandeira das suas fraquezas, então fica parecendo que todos estão comemorando grandes paixões e fortunas, quando na verdade a festa lá fora não está tão animada assim.

Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco, com motivos pra dançar pela sala e também motivos pra se refugiar no escuro, alternadamente.
Só que os motivos pra se refugiar no escuro raramente são divulgados.
Pra consumo externo, todos são belos, sexys, lúcidos, íntegros, ricos, sedutores. "Nunca conheci quem tivesse levado porrada/ todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo".
Fernando Pessoa também já se sentiu abafado pela perfeição alheia, e olha que na época em que ele escreveu estes versos não havia esta overdose de revistas que há hoje, vendendo um mundo de faz-de-conta.
Nesta era de exaltação de celebridades - reais e inventadas - fica difícil mesmo achar que a vida da gente tem graça. Mas tem.
Paz interior, amigos leais, nossas músicas, livros, fantasias, desilusões e recomeços, tudo isso vale ser incluído na nossa biografia. Ou será que é tão divertido passar dois dias na Ilha de Caras fotografando junto a todos os produtos dos patrocinadores?
Compensa passar a vida comendo alface para ter o corpo que a profissão de modelo exige?
Será tão gratificante ter um paparazzo na sua cola cada vez que você sai de casa?
Estarão mesmo todos realizando um milhão de coisas interessantes enquanto só você está sentada no sofá pintando as unhas do pé?

Favor não confundir uma vida sensacional com uma vida sensacionalista. As melhores festas acontecem dentro do nosso próprio apartamento.

(Martha Medeiros, gaúcha, 44 anos, Jornalista, poeta e gente fina.)

A ARMA INFALÍVEL

Hoje, li esta mensagem de Neio Lúcio e resolvi compartilhar com você. Desejo-lhe um ótimo dia, cheio de paz!(Ronaldo Adonai).

A ARMA INFALÍVEL

Certo dia, um homem revoltado criou um poderoso e longo pensamento de ódio, colocou-o numa carta rude e malcriada e mandou-o para o chefe da oficina de que fora despedido.
O pensamento foi vazado em forma de ameaças cruéis. E quando o diretor do serviço leu as frases ingratas que o expressavam acolheu-o, desprevenidamente, no próprio coração, e tornou-se furioso sem saber por quê. Encontrou, quase de imediato, o subchefe da oficina e, a pretexto de enxergar uma pequena peça quebrada, desfechou sobre ele a bomba mental que trazia consigo.
Foi a vez do subchefe tornar-se neurastênico, sem dar o motivo. Abrigou a projeção maléfica no sentimento, permaneceu amuado várias horas e, no instante do almoço, ao invés de alimentar-se, descarregou na esposa o perigoso dardo intangível. Tão só por ver um sapato imperfeitamente engraxado, proferiu dezenas de palavras feias; sentiu-se aliviado e a mulher passou a asilar no peito a odienta vibração, em forma de cólera inexplicável.Repentinamente transformada pelo raio que a ferira, e que até ali ninguém soubera remover, encaminhou-se para a empregada que se incumbia do serviço de calçados e desabafou. Com palavras indesejáveis inoculou-lhe no coração o estilete invisível.
Agora, era uma pobre menina quem detinha o tóxico mental. Não podendo despeja-lo nos pratos e xícaras ao alcance de suas mãos, em vista do enorme débito em dinheiro que seria compelida a aceitar, acercou-se de velho cão, dorminhoco e paciente, e transferiu-lhe o veneno imponderável, num pontapé de largas proporções.
O animal ganiu e disparou, tocado pela energia mortífera, e, para livrar-se desta, mordeu a primeira pessoa que encontrou na via pública.
Era a senhora de um proprietário vizinho que, ferida na coxa, se enfureceu instantaneamente, possuída pela força maléfica. Em gritaria desesperada, foi conduzida a certa farmácia; entretanto, deu-se pressa em transferir ao enfermeiro que a socorria a vibração amaldiçoada. Crivou-o de xingamento e esbofeteou-se o rosto.
O rapaz muito prestativo, de calmo que era, converteu-se em fera verdadeira. Revidou os golpes recebidos com observações ásperas, e saiu, alucinado, para a residência, onde a velha e devotada mãezinha o esperava para a refeição da tarde. Chegou e descarregou sobre ela toda a ira de que era portador.
- Estou farto! – bradou – a senhora é culpada dos aborrecimentos que me perseguem! Não suporto mais esta vida infeliz! Fuja de minha frente!...
Pronunciou nomes terríveis. Blasfemou. Gritou, colérico, qual louco.
A velhinha, porém, longe de agastar-se, tomou-lhe as mãos e disse-lhe com naturalidade de brandura:
Venha cá, meu filho! Você está cansado e doente! Sei a extensão de seus sacrifícios por mim e reconheço que tem razão para lamentar-se. No entanto, tenhamos bom ânimo! Lembremo-nos de Jesus!... Tudo passa na Terra. Não nos esqueçamos do amor que o Mestre nos legou...
Abraçou-o, comovida, e afagou-lhe os cabelos!
O filho demorou-se a contemplar-lhe os olhos serenos e reconheceu que havia no carinho materno tanto perdão e tanto entendimento que começou a chorar, pedindo-lhe desculpas.
Houve então entre os dois uma explosão de íntimas alegrias. Jantaram felizes e oraram em sinal de reconhecimento a Deus.
A projeção destrutiva do ódio morrera, afinal, ali, dentro do lar humilde, diante da força infalível e sublime do amor.
NEIO LÚCIO

LIÇÃO DO APÓLOGO


"A cada um segundo suas obras."
Jesus
Lição do apólogo
“Um velho apólogo, divulgado em vários países e que pertence à alma do povo, contém ensinamentos filosóficos enriquecedores.
Conta que um homem foi convocado a comparecer no fórum para solução imediata dos problemas e dúvidas que lhe manchavam a vida. A condenação era quase certa.
Todavia, o cavalheiro que possuía três amigos, vendo-se em dificuldades procurou seus três benfeitores, suplicando-lhes proteção e conselhos.
O primeiro falou-lhe com certa arrogância:
Não posso fazer nada por você, a não ser arranjar uma roupa nova para que compareça bem vestido diante do juiz.
Dirigiu-se então ao segundo amigo e este, muito preocupado, disse-lhe com toda sinceridade:
Embora goste muito de você, nada mais posso fazer, do que acompanhá-lo até à porta do tribunal. Dali não posso passar. Você terá que seguir só.
O homem aproximou-se do terceiro amigo e lhe suplicou ajuda. E este, por sua vez, com grande afeição falou-lhe com humildade:
Irei com você e falarei em sua defesa.
E assim o terceiro amigo fez. Estendeu-lhe os braços, amparou-o em todos os momentos da luta e falou com tanta segurança e com tanta eloqüência em seu benefício, diante da justiça, que o suspeito foi absolvido com a aprovação dos próprios acusadores”.
...............
A lição do apólogo diz respeito à nossa própria história frente à morte.
Todos nós, diante do túmulo, somos convocados a comparecer ante o tribunal da consciência para prestar contas à contabilidade divina.
E todos recorremos àqueles que nos protegem.
O primeiro amigo, o doador de trajes novos, é o dinheiro, que nos garante o sepultamento.
O segundo, que nos acompanha até à porta do tribunal, é o mundo, representado na pessoa dos nossos parentes ou na presença das nossas afeições mais queridas que, com pesar, nos seguem até à beira da sepultura.
O terceiro, aquele que irá conosco e falará em nossa defesa, É O BEM QUE PRATICAMOS, a transformar-se em gênio tutelar de nossos destinos, e que, falando em nós e por nós, diante da justiça, consegue mais amplas oportunidades de serviço, ou nosso passaporte para esferas mais felizes.
E assim como o bem que praticamos abre as portas da felicidade, igualmente as más ações depõem contra nós, enclausurando-nos aos sofrimentos, remetendo-nos junto aos círculos pesados das sombras.
Percebemos, então, a grandeza da justiça divina a se concretizar no ensino do Mestre de Nazaré:
“Cada um receberá conforme as suas obras”.
Atendamos assim ao bem, onde estivermos, hoje, amanhã e sempre, na certeza de que o bem que realizamos é a única luz do caminho infinito que jamais se apagará.
Abraços fraternos
Por Ronaldo Adonai

DEUS SALVE A UMBANDA!

É relevante a preocupação de muitos umbandistas, no que diz respeito às agressões que vem sofrendo os seguidores dos cultos
afro-brasileiros, por adeptos das religiões neopentecostais. No entanto, é preciso analisar tal situação com racionalidade, deixando de
lado a paixão. Digo isso, porque se quisermos que nos respeitem, é preciso que tenhamos, antes de qualquer coisa, equilíbrio e
serenidade para enfrentar esses fanáticos e oportunistas da fé cristã. Na sua maioria, são pessoas totalmente levadas pela paixão cega
e irracional. Logo, incapazes de tolerar qualquer outra manifestação de fé, que não seja as que eles praticam.
Sabemos, serem esses "novos evangélicos", oriundos de pseudo-terreiros de Umbanda: médiuns anímicos, sem nenhum
compromisso de fato, com a moral e doutrina dos Orixás. Temos ainda, os dissidentes de respeitados Terreiros, no entanto, alegam
terem vivido anos de suas vidas praticando a caridade e que nada ganharam com isso... pasmem: "ora, quando alguém se propõe a
fazer algum bem a outrem, é de se esperar que o faça sem segundas intenções."
Outros, se revoltaram com a Umbanda por conta de não terem conseguido a pessoa amada; por não terem conseguido acabar
com o casamento do (a) amante; por não terem acabado com a vida do inimigo; por não terem conseguido a promoção no emprego;
por não terem conseguido comprar um carro igual ao do vizinho, etc, etc, etc... Repito: médiuns sem nenhum compromisso com a Lei da
Umbanda: Fé, amor e caridade.
Cansados por conta da "Lei do retorno"; afinal, o que aqui se faz, aqui se paga... buscam nessas novas religiões a possibilidade
de culparem alguém por seus erros e fracassos: e o fazem aos espíritos. Daí, a certeza de serem pessoas totalmente ignorantes a
respeito da espiritualidade.
O verdadeiro médium de Umbanda, sabe assumir suas responsabilidades nos mundos material e espiritual. Sabe que compete
aos espíritos de luz e aos Orixás o papel de espiritualizá-los: são eles que ensinam o caminho da tolerância, do amor ao próximo, da
serenidade e do cumprimento às Leis de Deus e dos homens. Ensinam a alimentar nossos corações com o amor e o perdão e dessa
forma, tentam evitar que nos corrompamos nos caminhos do orgulho e da vaidade inescrupulosa.
O crescimento dessas "novas religiões", deve ser vista como misericórdia de Deus em nossas vidas, ou seja: graças a elas,
nossos Terreiros estão limpos de médiuns fúteis e pretensiosos. Esses médiuns são filhos de Deus e com certeza Deus quer se
salvarem. A mediunidade lhes foi outorgada para que pudessem ser úteis ao trabalho no bem; todavia, deixaram se levar pela vaidade
e pelo orgulho, desconsiderando os maravilhosos fundamentos da Umbanda.
Deus salve o Grito do grande Rei Xangô, que expulsa de nosso meio médiuns mentirosos e charlatões! Deus salve a Espada de
Ogum, que corta de nossos caminhos os que alimentam o ódio e a inveja! Deus salve a Flecha de Oxossi, que mata o pássaro da
maldade e da traição! Deus salve as Águas de Oxum, que lava nossos caminhos da mentira e da falsidade! Deus salve os Ventos de
Iansã, que expulsa os que alimentam pensamentos de promiscuidade e infidelidade! Deus salve as Águas de Iemanjá, que lava nossos
terreiros dos que alimentam a falta de amor e respeito ao próximo! Deus salve as Chuvas de Nanã, que trazem o peso da
responsabilidade, afastando os ociosos e oportunistas! Deus salve o Cajado de Omulu, que expulsa as doenças do egoísmo e da
desordem! Deus salve Nosso Pai Oxalá, salvaguardando nossa Umbanda daqueles que ainda não conhecem o verdadeiro sentido da
caridade!
DEUS SALVE A NOSSA UMBANDA! ... e não desampare os que ainda se arrastam pelos caminhos da ignorância e da hipocrisia.


Mensagem enviada pelo Pai-de-Santo "LUIZ DE OGUM"- Casa de Umbanda Caboclo 7 Penas.

DEGRAUS


Os homens são degraus na cadeia da Divindade; cada degrau sustenta um e é sustentado por outro.
Compreender Deus é uma necessidade de nossos espíritos sedentos de Saber. Deus não existe... Ele É. Quisera apagar da mente a palavra Deus, que designa um ser pessoal, e substituí-lo por outra que designe algo universal, como Energia Divina, Vida Criadora ou outra do mesmo gênero. Essa Força-Vida é tudo e essa Energia-Lei não se aborrece nem encoleriza, porque é como o sol. Em quase todas religiões se fala de pecados contra Deus, mas isto é falso. O “pecador” “peca” contra si mesmo e só ofende a si mesmo. É como aquele que quisesse cuspir no sol: longe de sujar o Astro-Rei, sujaria a si próprio. Portanto, o homem não deve “pecar” para não manchar-se. Tal é a Lei.
O “corpo” de Deus é o Cosmos e nele operam as mesmas leis que no corpo humano. O homem, para viver, necessita dos pulmões, do estômago, do cérebro, etc... . As células do cérebro indubitavelmente são mais nobres que as do estômago, porém que é que seria dos neurônios se as células estomacais não funcionassem perfeitamente? Que é que seria do coração se os rins não cumprisse sua tarefa de purificar o sangue?
Perante a divindade, no homem ou no Universo, o trabalho de uma célula nervosa é tão importante como o de uma célula intestinal. Da mesma forma, perante Deus, tanto vale um ser humano “bom” como um “mau”, a “santa” como a prostituta, o grande e o pequeno.
A diferença entre o homem evolucionado e o não evolucionado é relativa à cadeia da humanidade: o primeiro trata de limpar e polir seu degrau e os dos outros, para que nada de “feio” se veja na cadeia, ao passo que o segundo deixa seu degrau sujar-se e essa sujeira se reflete sobre toda a gigantesca cadeia, sem contribuir para nada.
Todo homem que trata de comunicar aos demais o que ele “sabe”, é um homem egoísta. O verdadeiro altruísta é aquele que desperta nos demais o que neles está dormindo. E isto não se consegue obrigando-os a pensar e agir como ele próprio pensa e age, porque cada ser humano, ao meu ver, representa um degrau na escala que conduz a Deus e cada degrau tem sua função.
Que seria do organismo humano se as células cerebrais quisessem convencer as células estomacais de se dedicarem a pensar ao invés de digerir? A verdadeira sabedoria consiste em ajudar a Inteligência Suprema e não ir contra Ela.... Suponhamos que eu seja mulçumano e outra pessoa cristã. Ambos somos células; eu de um órgão e a pessoa de outro. Ambos devemos trabalhar para o conjunto, a fim de fazer dele um conjunto melhor. Ambos devemos desempenhar nossas funções e cumprir a missão que nos foi confiada, da melhor maneira possível , contribuindo assim para a evolução do conjunto.

Namaste!

Paz e abraços de luz deste eterno aprendiz!

Por Ronaldo Adonai 


CONVIVENDO....

Que o seu dia seja coroado pela Paz!
Cada dia que amanhece nos traz a oportunidade de plantar novas sementes.
Assim como o lavrador, de acordo com suas expectativas de colheita, escolhe as sementes que lançará ao solo, nós também podemos determinar a qualidade daquilo que plantamos para nosso futuro.
Ao semearmos amor, compreensão e paz, certamente seremos beneficiados colhendo os frutos daquilo que plantamos.
Não basta apenas que esperemos das pessoas com as quais convivemos uma atitude que nos traga harmonia. É preciso que cada um faça a sua parte.
A Harmonia existe quando os vários elementos de um todo contribuem para um fim comum.
Isso se aplica à convivência entre pessoas. De nada adiantará esperar respeito e consideração se cada um não fizer a sua parte.
Sempre haverá aqueles que por índole ou mesmo desamor tentarão quebrar esta harmonia; mas cabe aos outros neutralizar esta influência. De nada adiantaria revidar na mesma freqüência; mais acertado será manter-se impermeável e mostrar através do exemplo que uma melodia tocada harmoniosamente agrada mais a quem a ouve do que acordes dissonantes.
É prova de amadurecimento manter a calma diante de conflitos.
Já o imaturo aceitará as provocações e conseqüentemente estará contribuindo para que a desarmonia prevaleça.
A serenidade nas atitudes é um privilégio.
ABRAÇOS DE LUZ!
Por Ronaldo Adonai

ENCONTRO DOS SERES NA TERRA


Quando seres se encontram na Terra e há como uma espécie de reconhecimento entre eles é porque já haviam determinado que se cruzariam um dia, na sua trajetória terrena para edificarem algo muito importante para os seus espíritos.
Feliz é o encontro iluminado pelo Amor.
Quando o coração do ser humano é puro, o AMOR DIVINO o encaminha para a companhia que lhe é devida, mas na convivência com os que encontra em seu caminho, é preciso que a sua alma sintonize com as promessas do Grande Filósofo do Amor a fim de que haja um trabalho que se coadune com a evolução espiritual que deve se processar em todos os seres criados pelo Grande Arquiteto do Universo.
Alegremo-nos com o encontro de um amigo que nos entende e incentiva, mas não nos esqueçamos dos que nos acompanham e cujos corações necessitam da nossa constante ajuda a fim de poderem também assimilar um pouco da nossa compreensão no rumo certo para o Mais Alto.
Nada melhor do que a amizade bem estruturada por corações que alcançam o objetivo da união para um trabalho. O que é preciso é que a amizade não se transforme em apegos que asfixiam muitos espíritos munidos de boa vontade que, por causa de tais atos egoísticos, deixam de fazer o melhor.
O primeiro olhar é suficiente para o reconhecimento de almas que se reencontram a fim de recomeçarem experiências redentoras. A entidade espiritual que assiste ao reencontro abençoa-o, augurando que as mentiras terrenas não invertam os seus anseios que, de princípio, foram muito saudáveis.
Enquanto isso, eu particularmente, prestarei mais atenção aos Sinais.
Abraços energéticos de luz, amor e paz!
 Por Ronaldo Adonai

CARIDADE DO PENSAMENTO


Sabemos todos que o pensamento é onda de vida criadora, emitindo forças e atraindo-as, segundo a natureza que lhe é própria.
Fácil entender, à vista disso, que nos movemos todos num oceano de energia mental.

*

Cada um de nós é um centro de princípios atuantes ou de irradiações que liberamos, consciente ou inconscientemente.

*

Sem dúvida, a palavra é o veículo natural que nos exprime as idéias e as intenções que nos caracterizem, mas o pensamento, em si, conquanto a força mental seja neutra qual ocorre à eletricidade, é o instrumento genuíno das vibrações benéficas ou negativas que lançamos de nós, sem a apreciação imediata dos outros.

Meditemos nisso, afastemos do campo íntimo qualquer expressão de ressentimento, mágoa, queixa ou ciúme, modalidades do ódio, sempre suscetível de carrear a destruição.

*

Se tens fé em Deus, já sabes que o amor é a presença da luz que dissolve as trevas.

*

Cultivemos a caridade do pensamento.

*

Dá o que possas, em auxílio aos outros, no entanto, envolve de simpatia e compreensão tudo aquilo que dês.

*

No exercício da compaixão, que é a beneficência da alma, revisa o que sentes, o que desejas, o que acreditas e o que falas, efetuando a triagem dos propósitos mais ocultos que te inspirem, a fim de que se traduzam em bondade e entendimento, porque mais dia menos dia, as nossas manifestações mais íntimas se evidenciam ou se revelam, inelutavelmente, de vez que tudo aquilo que colocarmos, no oceano da vida, para nós voltará.

* * *


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Paciência.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
CEU, 1983.

ENTRANDO EM ALFA


Paz intensa lhe desejo!

Já ouvimos dizer que alguém está em alfa. Em geral, isso é dito para definir quem parece viver no “mundo da Lua”. Estar em alfa é sinônimo de relaxar com os olhos fechados. Alfa é o primeiro estado mental descrito pelo psiquiatra alemão Hans Berger, quando ele começou a utilizar o EEG (eletroencefalograma). Se nos relaxamos de olhos fechados, não pensamos em nada e nem fazemos nenhum esforço mental, nosso EEG revela que o cérebro, nessas condições, produz ondas de atividade elétrica com uma freqüência de 10 a 15 ondas por segundo. Se abrirmos os olhos e se concentrarmos em alguma coisa, as ondas alfa desaparecem, dando lugar às ondas beta e gama, cuja freqüência é de 20 a 40 por segundo. Com treino e persistência, nós determinamos se entramos em alfa, via meditação, ou se continuamos no corre-corre diário, que provoca estresse. Na primeira opção, sigamos os budistas. Em um lugar tranqüilo, pensemos: "Assim como eu quero ser feliz e evitar o sofrimento, outros também querem a felicidade". Nessa hora, lembremo-nos dos que vivem ao nosso redor e, quando sentirmos a sensação de que todos somos iguais, concentremo-nos nesse sentimento. Quanto mais fixarmos essa imagem na mente, mais calmos e mais tranqüilos nos sentiremos.

Abraços de luz!
Ad. 
Por Ronaldo Adonai

ORIXÁS


Um médium iniciante, foi falar com o Dirigente do terreiro, estava ansioso em saber algumas coisas:
Pai preciso saber urgente quem são meus orixás, e com quais entidades vou trabalhar ?
E por que esta pressa meu filho?-Respondeu o dirigente.
É que eu tenho amigos em outro terreiro e quando souberam que eu estava freqüentando a Umbanda, me fizeram estas perguntas e eu não soube responder.
Vou te ensinar a resposta, quando te perguntarem novamente responda:
“Sou filho do Orixá Humildade e do Orixá Caridade, as entidades com as quais vou trabalhar são Fé , Amor, Paciência, Perseverança”
O médium ficou olhando sem entender as palavras do dirigente que continuou:
Na Umbanda não temos de nos preocupar quem são nosso orixás, temos o dever de cultuar a todos com a mesma fé e amor, de nossas entidades o que devemos vai importar é seu nome, devemos sim nos preocupar em ajuda-las a transmitir aqueles que os procurarem as energias positivas e a paz que procuram

Correio de Umbanda 2
Marcos Boieng

CADA UM DÁ O QUE TEM


Cada um dá o que tem


Haviam duas vizinhas que vivam em pé de guerra.
Não podiam se encontrar na rua que era briga na certa. Depois de seu encontro com Jesus, dona Maria descobriu o verdadeiro valor da amizade e resolveu que iria fazer as pazes com dona Clotilde.
Ao encontrarem-se na rua, muito humildemente, disse dona Maria:
- Minha querida Clotilde, já estamos nessa desavença a anos e sem nenhum motivo aparente. Estou propondo para você que façamos as pazes e vivamos como duas boas e velhas amigas.
Dona Clotilde, na hora estranhou a atitude da velha rival, e disse que iria pensar no caso. Pelo caminho foi matutando: "Essa dona Maria não me engana, está querendo me aprontar alguma e eu não vou deixar barato. Vou mandar-lhe um presente para ver sua reação".
Chegando em casa, preparou uma bela cesta de presentes, cobrindo-a com um lindo papel, mas encheu-a de esterco de vaca. "Eu adoraria ver a cara da dona Maria ao receber esse 'maravilhoso' presente. Vamos ver se ela vai gostar dessa".
Mandou a enpregada levar o presente a casa da rival, com um bilhete:
"Aceito sua proposta de paz, e para selarmos nosso compromisso, envio-te esse lindo presente".
Dona Maria estranhou o presente, mas não se exaltou.
- Que ela está propondo com isso??? Não estamos fazendo as pazes??? Bem, deixa prá lá. Alguns dias depois dona Clotilde atende a porta e recebe
uma linda cesta de presentes coberta com um belo papel.
- É a vingança daquela asqueirosa da Maria. Que será que ela me aprontou?!
Qual não foi sua surpresa ao abrir a cesta e ver um lindo arranjo das mais belas flores que podiam existir num jardim, e um cartão com a seguinte mensagem:
"Estas flores é o que te ofereço em prova da minha amizade. Foram cultivadas com o esterco que você me enviou e que proporcionou excelente adubo para meu jardim.

AFINAL, CADA UM DÁ O QUE TEM EM ABUNDÂNCIA EM SUA VIDA!!!" LEMBRE-SE A SEMENTE QUE VC PLANTAR HOJE, É O COLHERÁ AMANHÃ! 
(Desconheço o autor)

SUCESSO E FRACASSO


Lhe desejo intensamente a Paz!

O ser humano passa a vida oscilando entre dois pólos conhecidos como sucesso e fracasso. No entanto, mesmo sabendo que é assim, ilude-se, em determinados momentos, pensando ser possível viver o tempo todo num único pólo.
Assim, quando alcançamos o sucesso nos negócios, no campo amoroso ou se obtemos certo prestígio social, proclamamos ao mundo que somos muito felizes. Nessa hora, sentimos que a vida é bela e acreditamos piamente que, dali em diante, iremos viver num mar de rosas.
Nos momentos de euforia, tendemos a esquecer que, em todos os campos de nossa vida, funciona a lei cósmica que o Yi-Ching, o grande livro de sabedoria chinesa, chama de “lei da alternância obrigatória entre o Yin e o Yang”, isto é, entre a subida e a descida ou entre a luz e as trevas e assim por diante.
Podemos tomar como exemplo o campo dos esportes: mesmo os melhores esportistas, verdadeiros gênios em suas modalidades, têm dias de fracasso; também as equipes mais qualificadas, num certo momento, passam por derrotas. Isso porque não é possível, neste universo, sermos aquinhoados apenas com o sucesso.
Por outro lado, quando algum setor de nossa vida vai mal, tendemos ao desespero, à amargura, a nos revoltarmos contra tudo e contra todos, até mesmo contra Deus. Se os períodos em que atravessamos esses verdadeiros desertos pessoais forem muito longos, ficamos tão abatidos que nos sentimos derrotados para sempre. Isso porque, diante de nossa frustração, esquecemos completamente que não só homens, mas empresas e até mesmo países, derrotados num determinado momento, renasceram das cinzas e acabaram superando todas as dificuldades.
Qual seria, então, o segredo para podermos lidar com o sucesso e o fracasso de maneira justa? O segredo está na palavra “Equanimidade” que literalmente significa “igualdade de ânimo” e que é sinônimo de Calma, Serenidade e Moderação.
A pessoa equânime mantém-se sorridente diante do sucesso ou do fracasso. Os mais apressados provavelmente dirão que isso é impossível ou, pelo menos, muito difícil. Nós diríamos que pode ser difícil, mas não impossível! Se compreendermos o segredo do ser humano equânime, talvez fique claro que viver a vida sorrindo não é tão difícil assim. Equânime é todo aquele que compreende, em sua intuição mais profunda, que lhe cabe fazer, da melhor maneira possível, aquilo que lhe compete, sabendo que o fracasso ou o sucesso não dependem exclusivamente de seus esforços, mas de um mecanismo cósmico muito maior que suas iniciativas pessoais.
Compreende ainda que é o mesmo Criador que nos envia “derrotas” e “vitórias”, no intuito de nos ensinar alguma coisa. Quando nos premia com o “sucesso”, coloca nele uma armadilha que podemos chamar de auto-importância ou de arrogância; quando nos envia o “fracasso”, oferece-nos a oportunidade de abrirmos os olhos para os nossos descuidos e limitações.
Temos, pois, que aprender a perceber, tanto na “derrota” quanto na vitória, a mão do Divino Arquiteto, visando unicamente auxiliar-nos em nossa evolução pessoal.

Abraços energéticos de luz, amor e paz!
Por Ronaldo Adonai

MUDANDO DIFICULDADES

Paz lhe desejo!

Existe um fato que pode ser facilmente comprovado por qualquer pessoa e que, se for bem compreendido, pode trazer grandes benefícios.
Você pode constatar com facilidade que, quando se encontra diante de uma situação difícil ou desconhecida, ou diante de uma situação aparentemente ameaçadora, seus músculos se contraem. Algumas vezes essa contração aparece no corpo todo, outras vezes em algumas partes dele. Mas o fato é que, em alguma medida, um enrijecimento muscular é produzido.
Talvez seu primeiro impulso seja argumentar: “Mas isso é natural! Ocorre com todo mundo!”. E nós concordamos, pois, certamente, isso ocorre com todo mundo.
Mas o problema é que ninguém percebe claramente esse fato, ninguém dá a ele a necessária atenção e, por isso, deixa de compreender sua enorme importância!
Isso porque, se uma dada situação, seja ela real ou imaginária, tem esse efeito sobre nossos músculos, será que se pudermos impedir esse efeito não estaremos abrindo a possibilidade de termos uma outra relação com essa situação? Será que em vez de uma relação aflita ou assustada, não podemos passar a ter uma relação poderosa e eficaz com o mesmo fato?
Se pudermos compreender bem esse ponto, se ganharmos uma visão clara dele, isso poderá fornecer-nos uma arma maravilhosa para lidarmos com toda e qualquer situação que a vida nos oferece.

Que o ano que se nos apresenta para vivê-lo, seja para todos nós, um ano cheio de oportunidades que nos facilitem o crescimento moral-espiritual, atraindo assim, naturalmente, aquilo que nos pertence por direito divino.


Tenha um ano repleto de paz, amor e construção íntima. O efêmero-necessário será atraído naturalmente satisfazendo os nossos sentidos e felicitando os nossos espíritos.
POR RONALDO ADONAI /INÍCIO DO ANO DE 2007

ORAÇÃO DA PRESENÇA

Que jamais, em tempo algum, o teu coração acalente o ódio.
Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida.

Que a música seja tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.
Que os teus momentos de amor contenham a magia de tua alma eterna em cada beijo.
Que os teus olhos sejam dois sóis olhando a luz da vida em cada amanhecer.

Que cada dia seja um novo recomeço, onde tua alma dance na luz.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração.
Que em cada amigo o teu coração faça festa e celebre o encanto da amizade profunda que liga as almas afins.

Que em teus momentos de solidão e cansaço esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.
Que o teu coração voe contente nas asas da espiritualidade consciente, para que tu percebas a ternura invisível tocando o centro do teu ser eterno.

Que um suave acalanto te acompanhe, na Terra ou no Espaço, e por onde quer que o Imanente Invisível leve o teu viver.
Que o teu coração sinta A PRESENÇA SECRETA DO INEFÁVEL!

Que os teus pensamentos, os teus amores, o teu viver, e a tua passagem pela vida sejam sempre abençoados por aquele AMOR QUE AMA SEM NOME.
Aquele Amor que não se explica, só se sente.

Que esse Amor seja o teu acalanto secreto, viajando eternamente no centro do teu ser.
Que esse Amor transforme os teus dramas em luz, a tua tristeza em celebração, e os teus passos cansados em alegres passos de dança renovadora.

Que jamais, em tempo algum, tu esqueças da PRESENÇA que está em ti e em todos os seres.
Que o teu viver seja pleno de PAZ E LUZ

(Autoria: Wagner Borges)

O DESABROCHAR DA MENTE MEDITATIVA

 
Desejo-lhe Paz e Harmonia Interior.
A mente é como um lago, sua superfície está coberta por ondas de pensamento. Para vermos com clareza, temos primeiro que aprender a aquietarmos estas ondulações tornando-nos o mestre de nossa mente, e não seu servo. Na maior parte de seu dia a mente é lançada de um pensamento a outro, puxada por desejos e aversões, emoções e memórias, prazeres e desprazeres. De todas as forças que agitam-na são os sentidos que mais perturbam a concentração, dando margem a fantasias e desejos. Uma melodia romântica no rádio transporta à primeira vez em que a ouvimos, da mesma forma que um cheiro tentador ou um arrepio podem abalar nossos pensamentos. De todos os sentidos, a visão e a audição são os mais poderosos, sempre dispersando a mente e desperdiçando valiosa energia mental. Por esta razão a meditação usa tanto os sons (mantras) como as imagens.
A mente, por sua natureza, está constantemente à busca de felicidade, esperando inutilmente encontrar satisfação quando atinge algo que deseja. Ao adquirir o objeto desejado, ela temporariamente silencia, mas depois de alguns poucos momentos todo o modelo começa novamente, porque ela permanece inalterada e o verdadeiro desejo por uma plenitude que não dependa de situações externas, permanece carente de realização.
Imaginemos, por exemplo, que saímos à rua e compramos um novo carro. Por algum tempo nos sentimos orgulhosos e satisfeitos – a mente está tranqüila. Mas logo começamos a ansiar por um modelo mais novo ou uma cor diferente, ou começamos a nos preocupar com a probabilidade dele ser roubado ou batido. O que começou como um prazer se tornou mais uma fonte de descontentamento; para aquietarmos um desejo, muitos outros foram criados.
Na verdade nós possuímos uma fonte de alegria e sabedoria dentro de nós, um fundo de tranqüilidade que nós podemos perceber e usar como alimento quando o movimento da mente está quieto. Se nós pudermos canalizar este desejo de contentamento para dentro de nós ao invés de atá-lo a objetos externos que são efêmeros por natureza, nós poderemos descobrir como viver em paz.
Durante a meditação experenciamos a mente como um instrumento. Até mesmo concentrando-nos alguns poucos períodos a cada dia, nós começamos a ver quanto movimento existe na mente e quão pouco nós vivemos o presente. A partir deste breve encontro com um diferente modo de percepção, podemos aprender a observar e então mudar o nosso modo de pensar. Uma das ferramentas mais usadas para controlar a mente é parar de associá-la com nossas emoções, pensamentos e ações. Ao invés de nos identificarmos com eles, simplesmente os deixemos para trás e assumimos o papel de testemunha, como se estivéssemos observando outra pessoa. Observando a nós mesmos desapaixonadamente desta forma, sem julgamento ou elogio, nossos pensamentos e emoções perdem poder para nós, que começamos a ver corpo e mente como instrumentos que podemos controlar. Separando-nos do jogo do ego, aprendemos a ter responsabilidade para conosco mesmos.

Não estaremos propensos a obter sucesso em dominar a mente na nossa breve sessão de meditação se lhes dermos livres rédeas no restante do tempo. Quanto mais tempo gastamos com a mente concentrada, mais rapidamente conseguiremos focar-nos ao sentar para meditar. Além das técnicas de meditação, há muito que podemos fazer para mantermos nossa mente centrada. Enquanto caminhamos, por exemplo, tentemos sincronizar nossa respiração com nossos passos – inspiremos durante três passadas, expiremos por outras três. Respirar lentamente e com controle aquieta a mente também. Quando estivermos lendo um livro, testemos nossa concentração parando no final da página para ver quanto nos lembramos.
O mais importante de tudo é manter o pensamento o mais positivo possível. Em dias em que nossa paz mental está abalada por alguma experimentação, podemos freqüentemente nos acalmar focando na emoção contrária – opondo-nos a sentimentos de ódio o amor; à dúvida a esperança. Usando estas simples técnicas iremos pouco a pouco acostumando nossa mente a um estado de concentração. Começaremos a perceber que influências externas estão tendo menos efeito sobre nós. Mesmo que tenhamos uma semana difícil no escritório ou um divertido final de semana, nosso humor permanecerá equilibrado, nossa força interior estará aumentando. Passamos a entender que no meio da mudança há a essência da vida, e que nela podemos permanecer constantes e seguros.
Namastê!
Ad...rz.

Por Ronaldo Adonai

AS SANDALIAS DE JOSÉ

As sandálias de José

Há muitos anos, tantos anos que já esquecemos a data exata, vivia em uma aldeia do Sul do Brasil um menino de sete anos, chamado José. Tinha perdido os pais muito cedo, e fora adotado por uma tia avarenta que, embora tivesse muito dinheiro, quase não gastava com o sobrinho. José, que jamais tinha conhecido o sentido do amor, achava que a vida era assim mesmo, e não se incomodava com isso.


Como viviam em um bairro de gente rica, a tia forçou o diretor da escola a aceitar seu sobrinho, pagando apenas um décimo da mensalidade, e ameaçando protestar junto com o prefeito se não fizesse isso. O diretor não teve escolha, mas sempre que podia mandava seus professores humilharem José, esperando que se comportasse mal e tivessem um pretexto para expulsá-lo. José, entretanto, que jamais conhecera o amor, achava que a vida era assim mesmo, e não se incomodava com isso.

Chegou a noite de Natal. Todos os alunos foram obrigados a assistir a missa em uma igreja distante do povoado, já que o padre local estava de férias. No caminho, os meninos e meninas foram conversando sobre o que iriam encontrar em seus sapatos na manhã seguinte: roupas da moda, brinquedos caros, chocolates, patinetes e bicicletas. Iam bem-vestidos, como sempre acontece em dias especiais, exceto por José – que continuava com as roupas maltrapilhas e as sandálias gastas e pequenas para seus pés (a tia lhe dera quando ainda tinha quatro anos, dizendo que só receberia outro par quando completasse dez anos). Alguns meninos perguntaram porque era tão miserável, e disseram que se envergonhavam de ter um amigo que se vestia e se calçava daquela maneira. Como José não conhecia o amor, não se incomodava com as perguntas.

Entretanto, quando entrou na igreja, escutou o órgão tocando, as luzes acesas, as pessoas vestidas com o que havia de melhor, as famílias juntas, os pais abraçados com os filhos, José sentiu-se a mais miserável das criaturas. Depois da comunhão, ao invés de voltar para casa com o grupo, sentou-se na soleira da capela e começou a chorar; mesmo que não conhecesse o amor, agora entendia o que era estar sozinho, desamparado, abandonado por todos.

Neste momento, reparou um menino ao seu lado, descalço, parecendo tão miserável como ele. Como jamais o tinha visto, deduziu que devia ter caminhado muito para chegar até ali. Pensou: “os pés deste garoto devem estar doendo muito. Vou dar-lhe uma das minhas sandálias, assim pelo menos alivio a metade do seu sofrimento.” Porque embora não conhecesse bem o amor, José conhecia o sofrimento, e não desejava que outros sentissem a mesma coisa.

Deixou uma das sandálias com o menino, e voltou com a outra; volta e meia a trocava de pé, de modo a não machucar-se muito com as pedras no caminho. Assim que chegou em casa, sua tia viu que o sobrinho tinha perdido uma das sandálias, e o ameaçou: se não conseguisse recuperá-la até a manhã seguinte, seria duramente castigado.

José foi para a cama com medo, pois conhecia os castigos que a tia de vez em quando lhe aplicava. Tremeu a noite inteira, mal conseguiu conciliar o sono, e quando estava quase conseguindo dormir, escutou muitas vozes na sala de visitas. Sua tia entrou correndo no quarto, perguntando o que tinha acontecido. Ainda tonto, José foi até a sala e viu que a sandália que havia deixado com o menino estava no centro da sala, coberta de todo tipo de brinquedos, bicicletas, patinetes, roupas. Os vizinhos gritavam, dizendo que seus filhos tinham sido roubados, já não haviam encontrado nada em seus sapatos quando acordaram.

Foi quando o padre da igreja onde celebraram a missa apareceu esbaforido; na soleira da capela havia surgido a estátua de um Menino Jesus vestido de ouro, mas com apenas uma sandália nos pés. Imediatamente o silêncio se fez, a comunidade louvou a Deus e os seus milagres, a tia chorou e pediu perdão. E o coração de José foi possuído pela energia e o significado do Amor.

(baseado em um conto de 1903, de François Coppée)
Paulo Coelho – Guerreiro da Luz
Related Posts with Thumbnails