O CABOCLO DAQUI...

Observação:
Este Blog/ Força das Matas pertence à Ronita Eliane.
Todos os demais sites mencionados,são indicações deste blog/aos seguidores e visitantes.





JESUS,O GOVERNADOR DO MUNDO!!!

JESUS,O GOVERNADOR DO MUNDO!!!

Marcadores

sexta-feira, 30 de abril de 2010

RELEMBRANDO CHICO


Relembrando Chico

A Barata na Sopa

D. Josefina era uma senhora cega, muito estimada nos arredores de Pedro Leopoldo, e tinha uma verdadeira adoração pelo Chico.
Seu desejo maior era o de que seu conterrâneo, um dia, jantasse com ela.
Tanto pediu, que o filho de D. Maria João de Deus a atendeu.
Foi marcado o dia e o Chico compareceu.
A mesa estava posta.
Numa ponta, sentou-se o convidado de honra, na outra, sua admiradora e, nos lados, duas amigas, conhecidas de ambos.
Por ser pobre, D. Josefina apenas fez uma sopa substanciosa.
No prato fundo, diante de cada convidado, achava-se a sopa, contendo ingredientes apetitosos.
O Médium, emocionado com o tratamento afetuoso, devagar, dando atenção à palavra da dona da casa, foi tomando a sopa, quando de repente, dá com uma barata preta no meio do prato...
Afasta-a para o lado, no momento em que D. Josefina lhe pergunta:
- Então, Chico, está gostando da minha sopa ? Olhe que a fiz com cuidado e carinho em sua homenagem.
- Está ótima minha irmã. Sou-lhe grato pela sua bondade. Não mereço tanto, respondeu-lhe o Médium, e, para que ninguém observasse seu achado, foi conversando e tomando a sopa ...
D. Josefina ria de contente.
O humilde homenageado sentia-se contrafeito. Mas, diante da alegria da irmã querida, que se sentia tão honrada com sua presença, esqueceu-se da barata e começou a conversar, animadamente, contar casos e a comer...
No fim, quando todos acabaram, olhou para o prato: estava vazio. Havia tomado a sopa e a barata também ...
Mas concorrera para alegrar o coração de uma velha e sincera admiradora.
Valeu o sacrifício ...
Assim era o Chico.
Um homem que amava a Deus acima de tudo e ao próximo mais que a si mesmo.

COMO COMBATER A MISTIFICAÇÃO


. Não se desconectar da matéria. O excesso de espiritualismo
podecriar uma descompensação com graves prejuízos para a vida pessoal
ematerial de uma pessoa. A matéria é tão importante quanto o
espírito;ambos são matizes, graus da mesma manifestação. Nenhum dos
dois podeprevalecer sobre o outro. Antídoto: equilíbrio. 2. Não
despertar os poderes antes da consciência. Os poderes estão aserviço
da consciência. Não é preciso buscá-los; quando chega omomento, eles
surgem naturalmente. Buscar o poder antes do saber éinverter a ordem
natural do processo. Para que sirvam a consciência,os poderes devem
ser doados a partir de algo além de nossa vontade. Antídoto:
eqüanimidade. 3. Não fixar-se em pessoas em vez de em suas
informações. Você nãomonta uma casa em um túnel. Ele é só um meio para
se chegar até ela.Quem depende de um mestre volta à infância
psicólogica. Em um processode iniciação ou terapêutico isso pode ser
necessário, mas somente comouma fase a superar, e não como um estado
onde parar. Antídotos: discernimento e moderação. 4. Não sentir
excesso de autoconfiança. Quem se crê autosuficiente éuma presa fácil
para os agentes do engano e não raro se vê envolvidopor eles. Quem crê
demais na própria capacidade está fadado aequivocar-se. Antídoto:
desconfiar de si mesmo. 5. Não sentir-se superior. Nunca julgue que a
própria linha detrabalho é superior às demais. Essa superioridade é a
antítese doesoterismo, que afirma justamente a omnipresença da
consciência emtodos os seres e caminhos. Essa postura desconecta uma
pessoa dasautênticas correntes da consciência amplificada, e é o ponto
departida para a via negra. Antídoto: eqüidade. 6. Não deixar-se levar
por impulsos messiânicos. A vontade de salvaros demais é uma armadilha
fatal. Sua tela de fundo é a vaidade e ainsegurança. Essa fobia
paranóica rompe com os canais de conexão com o mestreinterior,
bloqueia o processo de autoconhecimento e lança aespiritualidade numa
espiral involuta, além de inibir o direito ao“livre-arbítrio de cada
um”. Antídoto: confiança na existência. 7. Não tomar medidas
inconseqüentes. O entusiasmo pode levar umapessoa a romper com seu
círculo profissional e familiar semnecessidade. Com o “fluir” ou o
“fechar os olhos e saltar” — axiomasque só deveriam ser usados em
situações muito especiais —, os idiotasmais entusiasmados do mundo
esotérico incentivam os recém-chegados ase arrebentarem logo na
largada. Antídoto: responsabilidade serena. 8. Não agir com demasiada
rigidez. Encantada com as novas informaçõesque lhe ampliam a
consciência, uma pessoa pode-se tornar intolerante.Ela tem a tentação
de impor sua forma de pensar e seus modelos deconduta aos demais.
Limitando sua capacidade de ver a partir de outrasperspectivas, ela
perde o acréscimo de consciência que haviaconquistado. Antídoto:
tolerância e relaxamento. 9. Não se dispersar. Estudar ou praticar
demasiadas coisas ao mesmotempo sem aprofundar-se em nenhuma delas
leva a uma falsa sensação desaber. Nessa atitude, pode-se passar uma
vida inteira andando em círculos,enquanto se faz passar por um sábio.
Antídoto: concentração. 10. Não abusar. Manipuladas, as informações
espirituais servem deálibis ou justificativas convincentes para os
piores atavismos. Usaressas informações para fins muito particulares é
um crime. Ninguémprofana impunemente o que pertence a todos. Antídoto:
retidão e integridade. Parte do Texto COMO COMBATER A MISTIFICAÇÃO -
Fabio Fittipaldi

terça-feira, 27 de abril de 2010

SENTIMENTO DE HUMILDADE


Sentimento de humildade



“Jesus ensinou as reações mais afins à libertação espiritual, quando assim exclamava: ‘Se te tirarem a túnica, dá-lhe também a camisa’, ‘Ama o próximo como a ti mesmo’, ‘Faze aos outros o que queres que te façam’ e ‘Se teu adversário obrigar-te a andar uma milha, vai mais uma com ele’. Assim, esquematizou perfeitamente o desprendimento total e necessário das nossas concepções comuns e egoístas do mundo físico, demonstrando a conduta imprescindível para o espírito poder libertar-se do jugo fascinante, mas ilusório da matéria.



Não basta essa vivência tão sacrificial e desprendida, mesmo que o homem doe tudo de si a outrem, caso ele ainda não esteja possuído de tanta humildade, que possa perdoar a todos os seus adversários e autores de sua própria infelicidade. Zombado, acanalhado, caluniado e infamado pelas ingratidões de amigos mais estimados, dominados pelo orgulho, vaidade, ciúme, ambições, inveja e avareza, ainda é preciso que o iniciado na didática do Evangelho tenha consciência do benefício e do seu martírio, opondo a sua chance límpida de ressentimento, de perdoar tanto quanto o Cristo perdoou.



Sem dúvida, essa não é a humildade que se confunde com o servilismo, mas que liberta o espírito da matéria, pois quando Jesus enunciou que o ‘humilhados serão exaltados’, referia-se à humildade consciente, ao estado de apercebimento mais profundo e intuitivo da vida, em que a criatura cede espontaneamente para não agredir e tolera para não impor.



A humildade não é tão simplesmente uma virtude que se deve cultivar deliberadamente no sentido de se galardoar espiritualmente. A terra, com suas dores e vicissitudes, em vez de mundo expiativo e indesejável, pode ser considerada escola de alfabetização espiritual, ou valioso laboratório de enriquecimento e embelezamento da alma. Em conseqüência, o homem humilde é aluno paciente, conformado e satisfeito, que melhor aproveita as lições do mundo, uma vez que ele é sempre que mais se apercebe da realidade espiritual, em face de ouvir sem protestar, solicitar sem exigir, aprender sem pontificar.”





Fonte:


O Evangelho à Luz do Cosmo/Ramatís; obra mediúnica ditada pelo espírito Ramatís ao médium Hercílio Mães – 9ª ed.- São Paulo: Editora do Conhecimento, 2005. pág. 177/178.

RELEMBRNADO CHICO...


**FLOR:

Relembrando Chico

NÃO FAÇA ISSO




Um amigo do Chico desencarnou. Havia-me encontrado com ele algumas vezes. Ora no Centro, ora na casa do Chico.

Alguns dias após o desencarne, ele entra na casa do Chico e dá-lhe um grande abraço.

O odor era tão forte que a roupa do Chico ficou impregnada, chegando mesmo a ficar uma mancha na lapela do seu paletó.

-Quando ia tirar o paletó para limpá-lo, o espírito de Emmanuel apareceu e disse-lhe:


-Não faça isso. Ele não tem consciência de seu estado. Se você limpar o paletó agora, na sua presença, ele vai perceber e isso poderá lhe fazer um grande mal.

Chico então não só não tirou o paletó
como dormiu com ele.
No dia seguinte o odor havia desaparecido.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

RELEMBRNADO CHICO


Relembrando Chico
Com a saída do chefe da casa e dos filhos mais velhos para o trabalho e com a ausência das crianças na escola, Dona Cidália era obrigada, por vezes, a deixar a casa, a sós, porque devia buscar lenha, à distância.
Aí começou uma dificuldade.
Certa vizinha, vendo a casa fechada, ia ao quintal e colhia as verduras.
A madrasta bondosa preocupou-se.
Sem verduras não haveria dinheiro para o serviço escolar.
Dona Cidália observou... observou...
E ficou sabendo quem lhes subtraia os recursos da horta; entretanto, repugnava-lhe a idéia de ofender uma pesoa amiga por causa de repolhos e alfaces.
Chamou, então, o Chico e lembrou.
- Meu filho, você diz que, às vezes, encontra o Espírito de Dona Maria. Peça-lhe um conselho. Nossa horta está desaparecendo e, sem ela, como sustentar o serviço da escola?
Chico procurou o quintal à tardinha e rezou e, como das outras vezes, a mãezinha apareceu.
O menino contou-lhe o que se passava e pediu-lhe socorro.
D. Maria então lhe disse:
- Você diga à Cidália que realmente não devemos brigar com os vizinhos que sempre são pessoas de quem necessitamos. Será então aconselhável que ela dê a chave da casa à amiga que vem talando a horta, sempre que precise ausentar-se, porque, desse modo a vizinha, ao invés de prejudicar os legumes, nos ajudará a tomar conta deles.
Dona Cidália achou o conselho excelente e cumpriu a determinação.
Foi assim que a vizinha não mais tocou nas hortaliças, porque passou a responsabilizar-se pela casa inteira.

RELEMBRANDO CHICO


Relembrando Chico
Uma Boa Lição
Adoecera um dos irmãos do grupo.
Reumatismo complicado e renitente.
Um amigo ensinou a aplicação de uma erva que somente se desenvolve em cavernas do subsolo.
Chico e José Xavier, tendo por acompanhante um belo cão que lhes pertencia, de nome Lorde, vão a uma grande lapa, das muitas que existem nas cercanias de Pedro Leopoldo; em caminho começam a conversar.
Falavam a respeito de certos amigos e comentavam:
- Beltrano não serve.
- Fulano é muito esquisito.
- Sicrano é imprestável.
Quando as críticas iam inflamadas, o Espírito de Dona Maria João de Deus aparece ao Chico e aconselha: Vocês não devem falar mal de ninguém. Todos necessitamos uns dos outros. Julgar pelas aparências é péssimo hábito. Sempre chega um momento na vida em que precisamos de amparo de criaturas que supomos desprezíveis.
O Médium transmitiu ao irmão quanto ouvira e calaram-se ambos.
Chegaram à caverna e José, segurando Lorde por uma corda, desceu à frente.
Depois de longa busca, encontraram a erva medicinal.
Contudo, quando se voltavam para o retorno, perderam a noção do caminho sob as grandes abóbadas de pedra.
De vela acesa, procuraram debalde a saída.
Gritaram, mas receberam o eco da própria voz.
Quando a luz se mostrava quase extinta, recordaram-se da prece.
Oraram.
Dona Maria João de Deus apareceu ao Médium e considerou:
- Temos agora a prática do ensinamento a que nos reportamos na estrada.
Vocês podem saber muita coisa, mas agora precisam do cão. Soltem o Lorde e sigam-lhe os passos. Ele sabe o caminho da volta.
Assim fizeram. E acompanhando o animal, venceram o labirinto em alguns minutos.
Lá fora, à luz do dia, entreolharam-se surpresos, meditaram na lição recebida e renderam graças a Deus.

RELEMBRANDO CHICO


Relembrando Chico
O Entusiasmo Apagado
Em fins de 1927, o "Centro Espírita Luiz Gonzaga", então sediado na residência de José Cândido Xavier, que se fez Presidente da instituição, estava bem freqüentado.
Muita gente.
Muitos candidatos ao serviço da mediunidade.
Muitas promessas.
José era irmão do Chico e na residência dele realizavam-se as sessões públicas nas noites de segundas e sextas-feiras.
Em cada reunião, ouviam-se exclamações como esta:
- Quero ser médium psicógrafo!...
- Quero desenvolver-me na incorporação!...
- Precisamos trabalhar muito...
- Não será interessante fundar um abrigo ou um hospital?
O entusiasmo era grande quando, em outubro do mesmo ano, chegou a Pedro Leopoldo, Dona Rita Silva, sofredora mãe com quatro filhas obsidiadas. Vinham ela e o irmão Saul, tio das doentes, da região de Pirapora, zona do Rio São Francisco, no norte mineiro.
As moças, em plena alienação mental, inspiravam compaixão. Tinham crises de loucura completa. Mordiam-se umas às outras. Gritavam blasfêmias. Uma delas chegara acorrentada, tal a violência da perturbação de que era vítima.
O Espírito de Dona Maria João de Deus explicou pela mão do Chico:
- Meus amigos, temos desejado o trabalho e o trabalho nos foi enviado por Jesus. Nossas irmãs doentes devem ser amparadas aqui no Centro.
A fraternidade é a luz do Espiritismo. Procuremos servir com Jesus.
Isso aconteceu numa noite de segunda feira.
Quando chegou a reunião da sexta, José e Chico estavam em companhia das obsidiadas sem mais ninguém...

RELEMBRANDO CHICO


Relembrando Chico
A Medicação pela Fé
A moça abatida, num acesso de tosse, chegara ao "Luiz Gonzaga" com a receita médica.
Estava tuberculosa.
Duas hemoptises já haviam surgido como horrível prenúncio.
O doutor indicara remédios, entretanto...
- Chico, - disse a doente - o médico me atendeu e aconselhou-me a usar esta receita por trinta dias...
Mas, não tenho dinheiro. Você poderia arranjar-me uns cobres?
O Médium respondeu com boa vontade:
- Minha filha, hoje não tenho... E meu pagamento no serviço ainda está longe...
- Que devo fazer? Estou apavorada...
Chico pensou, pensou, e disse-lhe:
- Você peça à nossa Mãe Santíssima socorro e o socorro não lhe faltará.
A que horas você deve fazer a medicação?
- De manhã e à noite.
- Então você corte a receita em sessenta pedacinhos.
Deixe um copo de água pura na mesa, em sua casa e, no momento de usar o remédio, rogue a proteção de Maria Santíssima.
Tome um pedacinho da receita com a água abençoada em memória dela e repetindo isso duas vezes por dia, no horário determinado, sem dúvida, pela fé, você terá usado a receita.
A enferma agradeceu e saiu.
Passado um mês, a moça surgiu no Centro, corada e refeita.
- Oh! é você? - disse o Médium.
- Sim, Chico, sou eu. Pedi o socorro de Nossa Mãe Santíssima. Engoli os pedacinhos do papel da receita e estou perfeitamente boa.
- Então, minha filha, vamos render graças a Deus.
E passaram os dois à oração.

RECEITA CONTRA O EGOÍSMO


1º. Procure esquecer o lado escuro da personalidade do próximo.
2º. Aprenda a ouvir com calma os longos apontamentos do seu irmão, sem o impulso de interromper-lhe a palavra.
3º. Olvide a ilusão de que seus parentes são as melhores pessoas do mundo e de que a sua casa deve merecer privilégios especiais.
4º. Não dispute a paternidade das idéias proveitosas, ainda mesmo que hajam atravessado o seu pensamento, de vez que a autoria de todos os serviços de elevação pertence, em seus alicerces, a Jesus, nosso Mestre e Senhor.
5º. Não cultive referências à sua própria pessoa, para que a vaidade não faça ninho em seu coração.
6º. Escute com serenidade e silêncio as observações ásperas ou amargas dos seus superiores hierárquicos e auxilie, com calma e bondade, os companheiros ou subalternos, quando estiverem tocados pela nuvem da perturbação.
7º. Receba com carinho as pessoas neurastênicas ou desarvoradas, vacinando seu fígado e a sua cabeça contra a intemperança mental.
8º. Abandone toda a espécie de crítica, compreendendo que você poderia estar no banco da reprovação.
9º. Habitue-se a respeitar as criaturas que adotem pontos de vista diferentes dos seus e que elegeram um gênero de felicidade diversa da sua, para viverem na terra com o necessário equilíbrio.
10º. Honre a caridade em sua própria casa, ajudando em primeiro lugar a seus familiares, através do rigoroso desempenho de suas obrigações, para que você esteja realmente habilitado a servir ao mundo e a humanidade, hoje e sempre.


Fonte:
Claudemir O. Rodrigues. - Umbandista e Educador.
Texto compilado da Internet e Artigos de Auto-Ajuda.

domingo, 25 de abril de 2010

LIVRO ''VOCE PODE CURAR SUA VIDA/LOUYSE L.HAY/CLIQUE EM ''FULL'' PARA LER EM TELA INTEIRA!

LIVRO ''VOCE PODE CURAR SUA VIDA'' LOUYSEL.HAY/ESTE LIVRO RECOMENDO À TODAS PESSOAS,QUE BUSCAM AUTO CONHECIMENTO/

http://www.easy-share.com/1910032579/voce-pode-curar-sua-vida.pdf


''ESTE LIVRO RECOMENDO...
FALEI SOBRE ESTA LEITURA À UM ADOLESCENTE...ELE RESPONDEU-ME,''NÃO PRECISO DE AUTO-AJUDA...''RESPONDI-LHE...''SE NÃO FORMOS CAPAZES DE NOS AUTO-AJUDAR,AUTO-CONHECER,AUTO-C0NTROLAR...QUEM O FARÁ POR NÓS?
CERTAMENTE,TUDO ISTO SERÁ CONTROLADO,DO LADO DE FORA DE NOSSA MENTE...
PENSO QUE,POR ESTE MOTIVO,A SABEDORIA VEM ANTECEDIDA DE MUITA HUMILDADE...SEM A QUAL,OS SOBERBOS,NÃO ALCANÇARÃO ESTES CONHECIMENTOS,
SEM A QUAL DICERNIMENTO ALGUM SE EXPANDIRÁ NESTE SENTIDO...PENSO QUE TODOS OS JOVENS PODERÍAM SABER SOBRE NEUROLINGUÍSTICA,CAMINHARÍAM ANOS À FRENTE,EVITANDO MUITOS DESAJUSTES,EM SUAS VIDAS...RECOMENDO...
ESTA LEITURA...DEPOIS ME CONTEM...COM CARINHOS,RONITA

HOJE,25 DE ABRIL/DIA DE UMA DAS APARIÇÕES DA VIRGEM DE FATIMA/...


No domingo, dia 25 de Abril, poucos dias após sua chegada ao Seminário, participou juntamente com todas as Irmãs, da grande Festa da Transladação das Relíquias de São Vicente de Paulo. Durante a Revolução Francesa de 1789, as relíquias do Santo tinham sido escondidas com receio de profanações. Por isso, o Arcebispo de Paris conhecendo o prestigio daquele que o povo chamava de “pai dos pobres” , quis prestar uma homenagem solene a São Vicente, reanimando a fé dos parisienses. Foi uma imensa procissão que saiu do arcebispado, atravessou Paris e chegou à Capela do Mosteiro dos Padres da Missão, à Rua de Sèvres, 95, chamada Capela de São Lázaro. A multidão se comprimia nas ruas à sua passagem e avidamente e com muito respeito, todos queriam participar do cortejo.

Na Capela das Irmãs, na Casa Mãe, havia no Altar uma pequena urna contendo relíquias de São Vicente de Paulo. Neste mesmo domingo, dia 25 de Abril, depois de concluída a Transladação das Relíquias para a Capela de São Lázaro, ela regressou a Casa Mãe na Rua “du Bac”. Dentro da Capela, teve uma surpresa muito especial: vê o coração de São Vicente encima da urna que continha as Relíquias dele. A aparição que se repetiu por mais duas vezes, até o dia 2 de Maio, apresentava o coração do Santo com uma coloração diferente, em cada vez:

- Primeiro o “branco”, “que anunciava a paz, a calma, a inocência, a união” , conforme o entendimento de Catarina.
No Antigo e Novo Testamento, a "paz" é característica essencial dos tempos messiânicos, é o dom de DEUS por excelência à humanidade, que nos é transmitida pelo CRISTO Ressuscitado. (Lc 24, 36)(Jo 20, 19)(Jo 20,26)

- O segundo coração apareceu na “cor vermelha de fogo”. O “conceito de fogo”, conforme Catarina é “que deve acender a caridade nos corações”. O fogo é um dos símbolos da presença e da ação de DEUS na história da humanidade (lembrar Moisés e a sarça ardente no monte Horeb, Êxodo 3,1-6; espécie de línguas de fogo em Pentecostes, Atos dos Apóstolos 2,3).

Entretanto, Catarina pensa explicitamente na Companhia das Filhas da Caridade, na qual se preparava para entrar. Compreende que a Instituição deveria “se renovar” , converter-se a uma existência com prática mais consistente e perseverante do Evangelho, divulgando-o por todas as partes, “até os confins do mundo”, a fim de testemunhar o “amor” que deve ser a sua lei, sobretudo para com os pobres, a exemplo de São Vicente de Paulo.

- O terceiro coração apareceu “vermelho-escuro”, com uma conotação evidente de “desgraça e sofrimento”. O “coração de São Vicente de Paulo estava aflito, à vista das desgraças que iam se abater sobre a França”, explica à vidente. Poderíamos relembrar as revoluções de 1830, de 1848 e de 1871. Mas o Santo não se referia somente a aqueles sangrentos e tristes episódios. A sensibilidade pelos sofrimentos da humanidade de um modo geral e o convite a uma “profunda e sincera compaixão” por todos que sofrem, é também componente da mensagem fundamental de São Vicente.

Na vida cotidiana as Irmãs obedeciam a uma mesma programação horária. Levantavam às 4 horas e após a Santa Missa, a Diretora do Seminário, responsável pela formação, fazia uma instrução explicando o que é ser Filha da Caridade e como devem servir aos pobres. Ensinava o que é a oração e sua grande importância na vida de cada pessoa em particular e especialmente na vida das Filhas da Caridade. Falava também sobre o mistério e o incalculável valor da Eucaristia, assim como da atuação de NOSSA SENHORA e do ESPÍRITO SANTO, na vida da Igreja, dos Institutos e das Comunidades Religiosas. Catarina enquanto ouvia também pensava nas imensas graças que DEUS lhe tinha concedido.

Afirmou Catarina: “Eu era favorecida por outra graça muito especial, de ver NOSSO SENHOR no Santíssimo Sacramento. Eu O vi durante todo o tempo de meu Seminário, com exceção das vezes em que a dúvida envolvia o meu coração. Nesses dias, nada via, porque procurava mentalmente aprofundar-me em indagações sobre este mistério e temia enganar-me”.

È necessária explicar que Catarina não duvidava do fenômeno sobrenatural da “transubstanciação” que acontece na Santa Missa durante a Consagração. O ESPÍRITO SANTO atua no momento das orações do sacerdote celebrante, transformando o pão e o vinho no Corpo, Sangue, Alma e Divindade de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, mantendo as mesmas aparências exteriores das espécies, ou seja, mantendo as aparências do pão e do vinho. Ela não duvidava que JESUS está realmente presente na Hóstia e no Vinho Consagrado. A dúvida de Catarina nascia de sua ignorância, na pobreza dos seus costumes, na sua simplicidade pessoal e na grandeza de sua humildade. Naqueles dias “escuros de dúvidas”, ela pensava ser uma ilusão de ótica, de não estar vendo JESUS na Eucaristia, de ver apenas uma imagem fictícia desenhada por sua mente, porque não se sentia merecedora daquela graça tão especial. “Como poderia ela, uma ignorante que mal sabia escrever e falar, ter a pretensão de ver JESUS no Santíssimo Sacramento”? Estas eram as suas dúvidas!

Catarina levava uma vida dedicada ao trabalho e a oração. Sentia-se muito feliz, mas possuía um imenso desejo de ver NOSSA SENHORA, a quem se dedicou desde criança com súplicas e fervorosas orações.

No dia 18 de Julho de 1830, Irmã Marta, a Diretora do Seminário, fez uma instrução sobre a devoção de São Vicente de Paulo a VIRGEM MARIA.

À noite, ao se deitar, Catarina teve um forte pressentimento: NOSSA SENHORA virá visitá-la esta noite. O fato se concretizou as 23horas e 30minutos. Ao contar ao seu Confessor Padre José Aladel, ele a tratou com desconfiança e aspereza. Entretanto, na sequência dos dias, de tanto ouvir os relatos da Irmã, sua consciência ficou perturbada e ele decidiu pedir a Irmã que lhe desse a confissão por escrito. Catarina sem qualquer ressentimento entregou-lhe a descrição completa em 1856.

A Aparição aconteceu assim:

“As 11h30 da noite, ouvi que me chamavam pelo nome: Irmã Labouré, Irmã Labouré. Acordei, olhei para o lado de onde vinha a voz, que era do lado da porta. Afastei a cortina de minha cama e vi um menino, vestido de branco, com idade de 4 a 5 anos, que me disse: Vinde à Capela. A SANTÍSSIMA VIRGEM vos espera. Logo me lembrei que alguém poderia nos ouvir. O menino respondeu: Fique tranquila, são 23 horas e 30 minutos, todas as Irmãs dormem profundamente. Vinde, eu vos espero. Vesti-me as pressas e dirigi-me para o lado onde o menino estava de pé, junto a cabeceira da minha cama. Eu o segui, tendo-o sempre ao meu lado esquerdo. Ele espalhava claridade por onde passava e isso me deixava admirada. Mas muito maior foi a minha surpresa ao chegar a Capela: a porta se abriu com um leve toque de ponta dos dedos do menino e todas as velas da Capela estavam acesas, como acontecia na Santa Missa de Natal. No entanto, eu não via a VIRGEM SANTÍSSIMA. O menino conduziu-me ao santuário, junto a cadeira do Padre Diretor. Aí me ajoelhei e o menino ficou de pé. Como me parecia longa a espera! (Porque na sua ingênua simplicidade imaginou que se NOSSA SENHORA demorasse a chegar, alguma Irmã poderia presenciar a Aparição e espalhar na Comunidade) Olhei para a tribuna para ver se as Irmãs de plantão noturno estavam por ali. Enfim chegou o momento! O menino avisou-me dizendo: Eis a SANTÍSSIMA VIRGEM! Ouvi um leve ruído, como se fosse o suave arrastar de um vestido de seda no assoalho. NOSSA SENHORA foi assentar-se numa cadeira no Altar, ao lado do Evangelho. Olhando para a SANTÍSSIMA VIRGEM, corri apressadamente e ajoelhei aos pés Dela, ao lado da cadeira apoiando-me Nela. Foi o momento mais feliz da minha vida! Conversamos bastante e Ela me deu preciosos conselhos, ensinando-me como deveria proceder nas horas de sofrimento e apontando o sacrário com a mão esquerda, me disse que diante do SENHOR eu deveria sempre abrir o meu coração para alcançar todas as consolações que necessitasse. Perguntei-lhe sobre as coisas que tinha visto e Ela me deu minuciosas explicações. Não sei quanto tempo fiquei com a VIRGEM, mas quando Ela partiu, vi alguma coisa como se estivesse apagando, como uma sombra que seguia pelo mesmo caminho por onde Ela havia chegado. Levantei-me e vi o menino onde o deixara. Ele me disse: Ela já partiu. Voltamos para o dormitório pelo mesmo caminho, estando ele a minha esquerda sempre iluminando por onde devíamos passar. Creio que este menino era o meu Anjo da Guarda que tomara a forma humana. Desde criança eu o tinha invocado diversas vezes, e lhe pedi que alcançasse de DEUS este inesquecível favor de vêr nossa MÃE SANTÍSSIMA. Ele estava vestido de branco e irradiava uma luz resplandecente. Quando cheguei a minha cama ele desapareceu. O relógio da Comunidade soava duas horas da madrugada. Deitei mas não consegui dormir”.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

quinta-feira, 22 de abril de 2010

PRODUTOS ÉTICOS/LACTO/VEGETARIANOS/E VEGANOS ONDE ENCONTRAR/A BASE EXTRATO DE SOJA

CLICK NO LINK/TODOS PRODUTOS ÉTICOS/SAUDÁVEIS/ A BASE DE EXTRATO DE SOJA/AGORA ENCONTRA-SE COM COMODIDADE E FACILIDADE EM TODOS SUPERMERCADOS NAGUMO!CONFIRAM!
http://jornalvegano.blogspot.com/2010/04/foi-confirmado-o-fechamento-do-contrato_22.html

quarta-feira, 21 de abril de 2010

A CRIANÇA....


A criança que convive com a critica...
Aprende a condenar.

A criança que convive com a hostilidade...
Aprende a ser agressiva.

A criança que convive com o ridículo...
Aprende a ser tímida.

A criança que convive com a vergonha...
Aprende a senti-se culpada.

A criança que convive com a tolerância...
Aprende a ser paciente.

A criança que vive com o estimulo...
Aprende a ter auto confiança.

A criança que convive com elogios...
Aprende a valorizar.

A criança que convive com a integridade...
Aprende a ser justa.

A criança que convive com a segurança...
Aprende a ter Fe.

A criança que convive com aprovação..
Aprende a gostar de si mesma.

A criança que convive com a honestidade...
Aprende a verdade.

A criança que convive com aceitação e amizade...
Aprende a encontrar amor no mundo.


A criança que vive com o ridículo aprende a ser tímida.
A criança que vive com crítica aprende a condenar.
A criança que vive com suspeita aprende a ser falsa.
A criança que vive com antagonismo aprende a ser hostil.
A criança que vive com afeição aprende a amar.
A criança que vive com estímulo aprende a confiar.
A criança que vive com a verdade aprende a ser justa.
A criança que vive com o elogio aprende a dar valor.
A criança que vive com generosidade aprende a repartir.
A criança que vive com o saber aprende a conhecer.
A criança que vive com paciência aprende a tolerância.
A criança que vive com felicidade conhecerá o amor e a beleza.

Ronald Russel

AO ORIENTARES...UM FILHO...DE ALGUÉM...PRUDÊNCIA...EQUIDADE...(HOJE,QUARTA FEIRA,DIA DE PAI XANGÔ)


''Ao orientares um filho de alguém,seja este jovem,criança,adolescente,adulto ou idoso,acautele-se antes,se,todas vossas orientações,seriam assim ministradas,a vossos próprios filhos,diante das mesmas circunstâncias,e situações...(porque isto retornará assim,em bem ou mal aos mesmos,não tenhas dúvidas disto!acredite!)Ainda que no arfã de auxiliar,auxilia com equidade,lembrando sempre,que a luz ou as quedas que vossas palavras promoverem,serão cobradas,cada til...e cada vÍrgula...Não nos esqueçamos,que,
a Lei é para todos...Então,a mÁxima,''tudo que fizerdes ao mais pequenino,de meus irmãos,foi a mim que fizestes...foi a mim que fizestes...''(Jesus).Busque a cautela,evitando,assim,retornos cármicos,dolorosos...Busque a face de Deus em oração,e,
se não conseguires amar seu irmão ou sua irmã,como poderías,deixe-os(as),em paz...e a seus filhos e filhas também...Oro sinceramente a todos que,por imprudência,negligência,vaidade ou até mesmo maldade,influenciam os filhos de outras pessoas,a desiquilibrarem suas vidas...Oro para que encontrem luz,e paz,em seus corações,e para que corrijam seus caminhos,e não o façam mais!!E que isto tudo se dê,antes que seja tarde,demais!E convido,à todos irmãs e irmãos,a orarem junto comigo,pela mesmas justas causas...
Que assim seja!
RONITA
ORAÇÃO A PAI XANGÔ
Oh! Senhor dos Trovões. Pai da Justiça e da retidão. Orixá que abençoa os injustiçados e castiga os mentirosos e caluniadores.
Defenda, meu Senhor, minha casa, minha família e meu emprego dos inimigos ocultos, dos ladrões e dos mentirosos.Oh! Xangô rogo-te as vibrações de amor e misericórdia, Pai da dinastia humana, livra-me de todo escândalo.
Senhor de Oyó. Pai justiceiro e dos incautos. Protetor da fé e da harmonia. Kaô Cabecile do Trovão. Kaô Cabecile da Justiça. Kaô Cabecile, meu Pai Xangô. Morador no alto da pedreira. Dono de nossos destinos. Livrai-nos de todos os males. De todos os inimigos visíveis e invisíveis. Hoje e sempre, Kaô meu Pai. Kaô meu Pai, KaôO Senhor que é o Rei da Justiça,faça valer por intermédio de seus doze ministros,a vontade Divina,purifique minha alma na cachoeira.Se errei, conceda-me a luz do perdão.Faça de seu peito largo e forte meu escudo,para que os olhos de meus inimigos não me encontrem.
Empresta-me sua força de guerreiro,para combater a injustiça e a cobiça.Minha devoção ofereço.Que seja feita a justiça para todo o sempre. É meu Pai e meu defensor,conceda-me a graça de receber sua luz e de receber sua proteção.
CAÔ CABECILHE, vejo tua Pena de Ouro, tua Macahada, tua Chave, tua Sabedoria presentes neste GONGÁ.SENHOR dai-nos força e perdoai-nos se vós o ofendemos com nossos atos ou palavras, oh ORIXÁ da palavra e da escrita.Saravá todos os XANGÔS, CAÔ Alafim, Achê, Agojô, Agogô, Aganjú e SARAVA XANGÔ Laiara é hoje dia de XANGÔ, CAÔ, Alafim e Agojô te dedicamos este nosso Adarrum.
SARAVÁ XANGÔ CAÔ CABECILHE QUE ASSIM SEJA PARA TODO E SEMPRE, QUE ASSIM SEJA!
RONITA

POVO DO XINGU CONTRA A CONSTRUÇÃO DE BELO MONTE/MANIFESTAÇÃO INDÍGENA

POVOS DO XINGU CONTRA A CONSTRUÇÃO DO BELO MONTE/ASSISTAM!MANIFESTAÇÃO INDÍGENA

http://cruapolitica.blogspot.com/2010/04/povos-do-xingu-contra-construcao-de_21.html

ORAÇÃO À PAI OGUM


PRECE A OGUM

Pai Ogum, que minhas palavras e pensamentos cheguem até vós, em formade prece, e que sejam ouvidas.

Que esta prece corra o mundo e o universo, e chegue até os necessitados em forma de conforto para as suas dores.

Que corra os quatro cantos da Terra e chegue aos ouvidos dos meus inimigos, em forma de brado de advertência de uma filha de OGUM, que sou e nada temo, pois sei que a covardia não muda o destino.

OGUM, padroeiro dos agricultores e lavradores, fazei com que minhas ações sejam sempre férteis como o trigo que cresce e alimenta a humanidade, nas suas ceias espirituais, para que todos saibam que sou tua filha.

OGUM, Senhor das estradas, fazei de mim uma verdadeira andarilha, que eu seja sempre uma fiel caminheira seguidora do teu exército, e que nas minhas caminhadas só haja vitórias.

Que mesmo quando aparentemente derotada, eu seja uma vitoriosa, pois nós, os vossos filhos conhecemos a luta, como esta que travo agora, embora sabendo que é so o começo, mas tendo o Senhor como meu Pai, minha vitória será certa.

OGUM, meu grande Pai e Protetor, fazei com que o meu dia de amanhã seja tão bom como o de ontem e hoje, que minhas estradas sejam sempre abertas, que eu trabalhe para que no meu jardim só haja flores, que meus pensamentos sejam sempre bons e que aqueles que me procuram consigam sempre remédios para seus males.

OGUM, vencedor de demandas, que todos aqueles que cruzarem a minha estrada, cruzem com o propósito de engrandecer cada vez mais a Ordem dos Cavaleiros de OGUM.

Pai, daí luz aos meus inimigos, pois eles me perseguem porque vivem nas trevas, e na realidade só perseguem a luz que vós me destes.

Senhor, livrai-me das pragas, das doenças, das pestes, dos olhos-grandes, das mentiras e da vaidade que so leva a destruição. E que todos aqueles que ouvirem esta prece, e também aqueles que a tiverem em seu poder, estejam livres das maldades do mundo.

Que em meus caminhos, possa eu sua filha ser merecedora das vossas Bençãos: a espada que me encoraja, o escudo que me defende e a bandeira que me protege.

PATACORI OGUM

SUA benção, MEU PAI!!

MENSAGEM DE ASHTAR SHERAN/por Rosane Amantéa


MENSAGEM DE ASHTAR SHERAN
em 18/04/2010

Apelo aos trabalhadores da luz....

(por nós, os amparadores galácticos, unidos...)

Num movimento de providências urgentes por parte da Confederação Intergaláctica, elegemos tópicos do comando de El Morya, com relação a verdades a serem difundidas aos terráqueos, sobre ações que estamos desenvolvendo e sobre a necessidade de vossas parcerias, no âmbito da ação espiritual dos seres e grupos pilastras na Terra, fazendo a sua parte na consecução do plano divino, na carne humana.

Com informações de maior expressão prática, pela nossa solidariedade universal, comunicamos hoje alguns itens da pauta destes tópicos reveladores sobre a importância da nossa conexão com tais grupos humanos voltados para a sustentação frequencial espiritual, nesta era de trâmite evolutivo.

Num turbilhão cósmico de possante irradiação saneadora, nossas naves rastreiam os subterrâneos do submundo astral, neste período compreendido entre o dia de hoje até os albores do natalício crístico deste ano da Terra, com o objetivo precípuo de estagiarmos mais detidamente nestas reentrâncias astrais do orbe, onde, ainda, milhares de seres ancoram suas bases maléficas, persistindo, desesperadamente, na sua arbitrariedade de pretenso domínio sobre grupos sólidos de atividade espiritual de alta envergadura, em todo o planeta, e que interagem com as ações das autoridades espirituais governantes do mundo, que os assistem de forma esmeradamente poderosa, mas com o alvitre e alerta constantes de que não se desviem de seus propósitos altaneiros, por invigilância de seus passos.

Em aliança com líderes humanos encarnados para consecutarem ações relevantes, de ordem vibracional, nas suas lides espirituais específicas, conjugamos nossos propósitos maiores sobre o planeta Terra, quais sejam os de nos debruçarmos sobre as questões de alicerçamento de pilares energéticos frequenciais, só possíveis, neste intento, com a afinada interface do magnetismo humano e das energias dos reinos da natureza planetária, ancorando as egrégoras dimensionais superiores já definidas.

Entramos em contato telepático com esta canalizadora, por outro lado, a fim de comunicarmos, em equipe, e justamente por isso, que serão graves os momentos que vivenciará a população da Terra, durante este período apontado, ainda que seja somente prenunciador do que realmente sucederá nos próximos anos, e mesmo após estes, nos decênios seguintes, pressagiando reorganizações geomorfológicas em toda a contextura material e topográfica da Terra.

Afirmo que podereis ter-vos mais acobertados pelo poder superior de proteção divina, enquanto estiverdes em obras de apoio comunitário de ordem espiritual.

Resta à humanidade apenas um desideraro último, neste ciclo final de era: o de solidarizar-se com todas as intenções fraternistas e socorristas e as de caráter elucidativo às consciências renitentes.

Nossa naves percorrem trechos de absoluta incongruência moral e espiritual de reinos abissais, que se imiscuem, através de instrumentos de tecnologia ideoplástica sofisticada, nas ações comprometedoras do bem geral, por parte das efêmeras autoridades planetárias, e espreitam a invigilância que possa haver por parte de grupos importantes em atividade espiritual de porte.

Estamos em total abstinência de juízos sobre as almas ali estacionárias, competindo-nos apenas higienizar estas esferas densas e levarmos todas as criaturas recalcitrantes, paulatinamente, para outras paragens planetárias de expiações.

Em regime de mutirão de frotas alicerçadas na aliança com Sananda, exercendo o alvará que nos foi designado de fazermos a varredura dos infernos astrais, alertamos aos seres terráqueos a iminente e profusa influenciação de muitos destes seres em vossa vida cotidiana, a fim de se fortalecerem vampirescamente, através de vossos subsídios mentais e emocionais em desalinho, que os alimenta vibratoriamente, fugindo dos seus campos de ação habituais de seus submundos, em direção ao acasulamento em vossas auras, o que muda e retarda a ação que possamos ter em relação a estes, pelo cuidado que exigem intervenções de eficácia contra simbioses entre seres encarnados e desencarnados.

Aos grupos compremetidos com trabalhos espirituais, solicitamos nós, vossos amparadores intergalácticos, ajuda e reciprocidade com nossos intentos, no sentido de fortalecimento espiritual de vossos veículos carnais e de vossas atitudes mentais, harmonizando-as quanto possível, através dos inúmeros e variados recursos de alinhamento energético e vibratório, já delineados à vossa compreensão.

Seres espirituais com chances de reintegração na nova ordem planetária, encarnados ou desencarnados, deverão ser o alvo de vossas ações espirituais, antes que confrontos com os batalhões de magos negros, revoltados com esta restauração cíclica do planeta.

Muitos dos grupos espiritistas e umbandistas foram acionados e implementados magneticamente por recursos nossos, para darem continuidade aos seus procedimentos socorristas, quando reciclam almas para um novo diapasão vibratório, auxiliando-nos nas reparações dos seus corpos astrais, necessárias e pertinentes, conforme decisão dos ministérios da misericórdia divina, encarregados de resgates de almas.

Por outro lado, apelamos ao bom senso dos irmãos planetários destas lides, para equacionarem suas lutas de confronto com o mundo das sombras, detendo-se mais especificamente no âmbito da materialização de formas e forças agregatórias, que tenham como objetivo a função de coesão molecular da matéria sutil espiritual ectoplásmica.

Deformados pelas circunstâncias dos desastres ecológicos que vêm acontecendo e se sucederão dolorosamente, um após o outro, daqui para frente, milhares de seres que desencarnaram desta forma necessitam deste vosso auxílio específico, dada a exigência natural de seus corpos perispirituais requererem atributos de ordem fluídica que somente os humanos possuem, pela condição inerente à matéria orgânica com a qual revestem os seus corpos físicos, de exalarem tal massa etérica ectoplasmática.

Não esquecendo-vos de todas as orientações espirituais que vos tem sido transmitidas durante centenas de anos neste orbe expiatório, muitas das lições esquecidas sobre comportamentos morais e espirituais, deverão ser reavivadas doravante, para poderem ser combustíveis nobres para esta vossa atuação de inquestionável importância.

Convém vos lembrardes de que a vossa condição espiritual e moral dá o tom e a qualidade de vossa ajuda energética ao planeta e aos seres humanos encarnados e desencarnados. Como disse o vosso pastor Crístico:- "Aprendei de mim, que sou brando e humilde de coração!" Afirmou, ainda, que aos mansos e pacíficos pertencerá a nova Terra.

Mansidão, porém, não deve ser confundida como virtude apenas de apatia diante de situações de conflito entre os seres humanos. A interpretação que devereis dar a esta máxima de Cristo é a de que não sereis vós os juízes e sentenciadores dos réus da humanidade.

Esta postura refere-se a um sistema de crenças essenciais que deverá embasar e fundamentar as novas ações humanas, especialmente as dos trabalhadores espirituais, nestes tempos de transição planetária, até o surgir dos portais dos próximos milênios.

Criaturas já esclarecidas sobre a realidade espiritual da vida humana serão as mais úteis para nossos projetos de saneamento da Terra. No entanto, a qualidade de seus eflúvios naturais de suas identidades, nas condições de elevação, serão fatores determinantes para o êxito de nossas ações em conjunto.

Juízes terrenos cumprem a sua função de avaliação apenas parcial de seus corruptos. O julgamento final de toda a obra individual dos seres terráqueos, enquanto espíritos em experienciações na carne humana, no entanto, será obra a ser gerenciada pelos senhores absolutos do Universo, na identificação de quadrantes de personalidade espiritual e frequências energéticas de cada ser, cujos parâmeros de pontualidade e veracidade de seus resultados são instrumentos de elaboração científica divina quer não vos compete agora conhecer e ajuizar.

O que vos compete é fazerdes por vós mesmos o que vos diferenciará diante dos tribunais divinos, como já explicamos algumas vezes.

Além disso, num inquestionável apelo de Mestra Nada e de todos os mestres da Fraternidade Ancestral da Terra, devereis levar em conta que nenhuma alma que não amar ao próximo como a si mesmo estará livre das correções próprias do sistema divino de experienciações planetárias, até que o amor do Pai seja o diapasão e a referência única de todos os seus filhos.

Estamos auxiliando alguns agrupamentos especiais de trabalhadores espirituais que se detêm no enfrentamento de legiões trevosas. Advertimos a estes, que, por ordem maior dos planos superiores, reciclem suas formas de ação, alterando-as para os procedimentos de cura perispiritual e expansão da consciência humana, aos quais nos referimos, para que o trâmite de almas possíveis, e das vossas mesmas, para novas dimensões de vida, logrem êxito.

Ao falarmos de mansidão, estamos primando por integramos todos os apontamentos aqui expostos, no sentido de que possais compreender que a justiça final a todos estes carrascos dos mundos inferiores não será obra de vossas atividades mediúnicas e de vossas pretensas formas agressivas de julgá-los e pretender conduzí-los a um estado de entendimento espiritual que ainda não detêm, por ora.

A vibração do amor e da mansidão de vossas almas é o que será a referência para estas almas escuras rejeitarem as vossas auras iluminadas por estes nobres sentimentos. E isso muito nos ajudará quanto ao recambiamento destes mesmos seres para seus redutos de origem subterrânea, onde poderemos alcançá-los, longe do acoplamento destes às vossas almas emocionalmente enfermiças ou conceitualmente equivocadas na forma de tratar estas questões de tanta seriedade e complexidade espiritual.

Não recomendamos, igualmente, o excesso de procedimentos magísticos de ordem de confronto energético, a não ser que totalmente embasados em preceitos de certeza absoluta que sejam eficientes e eficazes.

Os agrupamentos umbandísticos e xamânicos deverão doravante revestir-se de um diferencial de frequência vibratória, que dê acesso a conexões de maior alcance cósmico, e a recursos provindos de regiões universais atreladas ao esquema de evolução da Terra, onde fontes de mananciais bioeletromagnéticos sutilíssimos atingirão picos maiores de eficácia espiritual em vosso orbe conturbado.

Os agrupamentos espiritistas, por sua vez, deverão zelar, de forma mais cuidadosa, a questão do desperdício de energia em trabalhos de desobsessão lenta. Relatam- nos, os supervisores desta egrégora de trabalhos espirituais na Terra, que há de haver maior cuidado com as emboscadas temíveis no campo da psiquiatria espiritual e das limpezas fluídicas em casos mórbidos, pois estarão estes conectados a engenhosidades perigosas dos submundos astrais, podendo acarretar disfunções sérias dos veículos mediúnicos. Sugerem estes técnicos de tais correntes de atividades espirituais, que os vossos cometimentos de ordem mediúnica pairem mais na órbita da apometria bem conduzida, com instrumentos mediúnicos adredemente preparados, ou ainda na conjunção de conhecimentos de práticas umbandistas e xamânicas.

Urge um aprimoramento de ações espiritistas nestas causas de auxílio espiritual à humanidade.

O embasamento que a Grande Fraternidade Branca recomenda é a de que os rumos de toda ação espiritual de dissolução de torrentes maléficas seja agora focado na "Metaciência", ou seja, o acionamento de dispositivos naturais da disponível, ininterrupta e inextinguível fonte de recursos da natureza, para a dissolução de ondas espirituais de baixa frequência, em movimentação acentuada na Terra.

Hostes angélicas, tribos xamânicas, o povo de Aruanda, pilares kardequianos, mestres e confrarias de todas as ordens de idéias e religiões com fundamentos sérios se congregam, neste momento da Terra, para um despertamento de todas a criaturas humanas.

Há uma total interação de todos estes grupos com a nossa equipe intergaláctica. Nossos conclaves fazem relatórios de todas estas imensas falanges de trabalhos específicos, num movimento de absoluta unificação de propósitos.

Sobre a importância de cerimoniais onde a força dos reinos elementares da Terra estejam em ação, entrementes, convergem as nossas intenções de maior exploração e explicação conceitual aos seres terráqueos, corroborando uma das metas do raio azul, no tocante ao planejamento de idéias e revelações que estão já sendo trazidas ao conhecimento dos humanos despertos para ações de cunho espiritual no planeta.

Sendo patrimônio divino, todos os reinos da natureza oferecem condição essencial de equalização das torrentes destruidoras que estão aceleradas nestes tempos, somando-se ao nosso irrestrito poder, a nós concedido pelo Criador, de equacionarmos vibrações deletérias do planeta, através de nossa ciência e tecnologia avançada de Sírius e Etéria.

O apelo que vos fazemos nesta comunicação paira no âmbito de que necessitamos de vossa colaboração magnética.

Nosso papel fundamental neste comunicado em equipe, é o de despertar-vos para o avivamento da força inigualável da própria natureza, em conjunções adredemente preparadas, em forma de liturgias vegetoastromagnéticas, em regime de expansão e clarificação de seus resultados, através de parâmetros metacientíficos, que serão cada vez mais detalhados, de forma compreensível, para toda e qualquer ordenamento religioso ou científico da Terra.

Estão sendo acionados dispositivos de toda ordem neste final de ciclo terreno. Há que não se ter recalcitrância obstinada quanto aos novos conceitos que estarão sendo apregoados pela Metaciência, em aparente antagonismo com religiões ou conceitos esotéricos forjados pelo "engessamento" conceitual frenador do processo evolutivo da humanidade, após o grande turbilhão regenerador.

Urge uma unificação de conhecimentos em todas as áreas, a fim de consolidar-se a inauguração de uma nova era na Terra, onde as mentes dos seres que aqui encarnarão serão portadoras dos mais complexos arsenais de bagagem tecnológica espiritual, para consubstanciarem-se em novas modalidades de vida integrativa que regerão o planeta renovado.

Na Atlântida antiga, a Terra esteve sob a mesma insígnia da egrégora ritualística das liturgias etéreo-físicas, com as expressões da natureza, que nos dias de hoje estão sendo já implementadas, como expressão e manifestação do poder divino exultante na matéria.

Sendo, porém, acionada por templos de magia negra que, em consequência de seus desatinos pelo poder maior sobre os templos da luz, conseguiram fazer submergir o continente atlante, este mesmo agora ressurgirá, em suas partes previstas pelos governantes siderais da Terra, na nova topografia do mundo, após os derradeiros acontecimentos geológicos previstos e em consecução pelo Plano Divino.

Hoje, os seres terráqueos, com a mente humana mais vivificada pelos já suficientes conceitos unificadores, poderá fazer uma análise desta nossa comunicação telepática integrada com vários outros semeadores de conhecimentos, em atividade incansável de fomentar a expansão da consciência humana.

Estaremos todos, das Federações Galáctica e Intergaláctica, clareando, de forma geral, a humanidade sobre os próximos aportes energéticos de manutenção da qualidade vibracional do planeta, através dos elementos naturais da Terra, como expressão da energia cósmica condensada, manipulada de forma organizada, e compreendida nos seus fundamentos através da Metaciência.

Sabemos que seremos interpretados de mil formas por esta genuína, mas questionável mensagem, com certeza assim considerada pelos críticos das obras literárias canalizadas pelos trabalhadores especiais.

Igualmente compreendemos sobre as contrariedades que advirão no terreno das pretensas e rígidas verdades conceituais. Mas, tudo está por ser consumado !! Não nos resta tempo para coordenar os movimentos de vossos julgamentos baseados ainda em muita ignorância sobre as verdades universais.

Nossas naves tem feito e farão aliança e suporte ultrafrequencial com todos os movimentos sérios de expansão xamânica e cerimonialística das energias da mãe-Terra, nesta nova ordem de unificação doutrinária e de utilização de mecanismos de atuação espiritual integrados.

Agrupamentos humanos que coordenam trabalhos de múltiplas veias doutrinárias, mas, especialmente os que estejam ligados às atuações ritualísticas na natureza, e os que primam pela doação energética para restauração espiritual de seres desencarnados pelas catástrofes que grassarão, terão apoio logístico frequencial de militantes intergalácticos de nossas naves, preparados também para a consecução da metodologia própria de saneamento do planeta regida pelo mestre Pena Branca, ser oriundo de galáxias dimensionalmente desconhecidas, de onde se originou a vossa aumbandhã.

Milhares de seres desencarnados, aprisionados em regime de escravidão pelos seres perversos, que ofereçam condições de resgate, e os milhares de seres encarnados que tem os seus duplos etéricos clonados em laboratórios astrais e todos os demais núcleos humanos que se inserem neste novo contexto de intermediação com as equipes espirituais de auxílio à Terra e com as frotas de seres extraterrestres, estarão sendo alvo de nossas buscas e apoio, neste período a que nos referimos inicialmente, estipulado pelo governo oculto da Terra.

Estaremos enviando recursos adicionais provindos de outras paragens galácticas para estes graves momentos de desencarnes em massa, na sintonia fina com nossas pilastras carnais, escolhidos há milhares de anos, para hoje estarem a postos nas suas funções de gerenciadores do material bioenergético humano, como também do uso adequado do magnetismo e do fluidos bioelétricos exalados pelas reinos da natureza, nestas horas de consumação de ciclo planetário.

As celebrações magísticas administradas pelo mestre Pena Branca, em todo o planeta, funcionarão como potencializadores dos éteres físicos dos reinos da natureza para a construção de novos códigos estratosféricos estruturais, a partir de moléculas renovadas a partir dos próprios elementos e gazes terrestres, que atingirão picos de concentração prânica excelentes, ainda acrescentados de nutrientes gasosos extraplanetários, provindos de outras esferas através de nossas naves, para maior qualidade na respiração dos seres humanos.

Sob os auspícios de Sanat Kumara, jazidas inimagináveis de elementos fornecedores de prana venusiano estão sendo descarregados nas plataformas energéticas do planeta, desde as suas bases primordiais mais sutis, até as densas faixas da escuridão planetária.

Resgatando o motivo desta nossa explanação, para muitos, inusitada, desejo ater-me, neste ponto de nossa comunicação, ao clamor de todos nós, comandantes de nossas naves de origens planetárias várias, sob a égide do Cristo, e de todos os excelsos instrutores do mundo e dos regentes das vibrações supraordinárias de seus raios excepcionais de sustentação do planeta Terra, que façais vós as reestruturações de vossas vidas pessoais com base na verdade imutável de que estais por um triz com relação à avaliação de vossos desempenhos espirituais na face deste orbe onde ora viveis.

Há que possais agir em favor de vós mesmos e de vosso destino espiritual, expandindo as vossas consciências em direção aos vossos semelhantes, igualmente.

Na forma mais harmônica possível, que possais estar em consonância com vossos propósitos de vida, definidos por vós mesmos, no plano espiritual, para estardes aí, onde estais, nestas atuais condições de vossa existência, sejam elas quais forem.

Que vossas disposições mais íntimas estejam em estreiteza de correlação com vossa verdadeira identidade no universo, se fordes já esclarecidos. Caso contrário, almas que teimam na ignorância da lei da evolução deverão iniciar celeremente seu empenho em construção de novos valores.

Aos meus irmãos cósmicos de boa vontade, neste momento da eternidade, estagiando nestas plagas difíceis da vida humana, que ainda perguntarão a si mesmos o que poderão fazer diante destes novos apontamentos trazidos por nós, sem total esclarecimento metodológico sobre o modo como possam desenvolver tais ações de ordem espiritual aqui apontadas, reiteramos o pedido de que ao menos expandam vossas consciências, na direção da unificação de propósitos espirituais, sem discriminação das ações encetadas pelos múltiplos núcleos de visões diferenciadas entre si, mas que estão no mesmo momento planetário que vós, na mesma condição atual, de serem solapados, a qualquer momento, pela força da própria mudança cíclica planetária, mas que vivem com a certeza de que contribuem para a consolidação da nova era de luz que se aproxima, através de suas específicas atuações, as quais a ninguém compete julgar na sua importância para o planeta e para os seres humanos.

As vossas abordagens todas que referem-se a práticas espirituais, juntamente com as nossas, terão que se unir num mesmo e único propósito: a salvação do planeta de acontecimentos não previstos e a salvação de vossas almas da passagem por outras paragens siderais onde, como disse o grande Mestre..."haverá prantos e ranger de dentes!"

Com o amor sideral incondicional a todos vós, humanos,

Ashtar Sheran (em conexão com Ramatis, El Morya, Pena Branca e Emmanuel)

Mensagem telepática em 18/04/2010 (por Rosane Amantéa)http://avozdoraiorubi.blogspot.com/

©2010 Rosane Amantéa
Esta mensagem pode ser compartilhada com outras pessoas desde que os direitos autorais sejam respeitados citando o autor e o link http://avozdoraiorubi.blogspot.com
Obrigado por incluir o link do site do autor quando repassar essa mensagem.

DOCUMENTARIO A CARNE É FRACA

A LIÇÃO DE PAI TOMÉ


A Lição de Pai Tomé
História inspirada por Vovó Benta
Médium: Mãe Leni Saviscki
Dirigente do Templo de Umbanda Vozes de Aruanda
Terreiro Filiado ao Centro Espiritualista Caboclo Pery

Nos atendimentos apométricos, muitas surpresas nos reservam. Enganam-se aqueles trabalhadores que pensam ser suficiente decorar as Leis da Apometria e realizar o trabalho com amor. Constantemente os benfeitores espirituais nos colocam situações, diante das quais percebemos a grandiosidade dessa técnica que aliada ao Evangelho de Jesus, nos torna não somente instrumentos curadores, como também magos manipuladores e trasformadores de energias. Situações outras que nos fazem perceber nossa pequenez diante da grandiosidade do Universo e desses comandantes que nos regem a nível espiritual. Todos os dias, sob todos os aspectos, temos tudo a aprender consolidando a realidade de que estar encarnado nesse abençoado planeta-escola, é uma oportunidade a qual não podemos desdenhar.
Naquela noite, após o atendimento normal da agenda, apresentou-se um espírito pedindo oportunidade para nos contar sua história. Estava acompanhado por um preto velho, o qual já conhecíamos pois era trabalhador da Casa. Pelo cordão brilhante que saía de sua nuca, deduzimos tratar-se de um ser encarnado em desdobramento do sono o que imediatamente suscitou dúvidas em nossa mente acostumada a tudo interrogar.
– Como poderia alguém encarnado estar ali presente se não havíamos solicitado pelos costumeiros “pulsos energéticos” o seu desdobramento? Captando a dúvida, o bondoso preto velho nos assegurou de que ele não vinha para atendimento, e sim, sob sua tutela para nos trazer aprendizado. Ligado ao médium, o nosso amigo iniciou sua narrativa:
“Encarcerado dentro de um corpo frágil e adoentado, além da idiotia que me acomete no físico, sou uma espécie diferente aos olhos dos que passam pela rua e me vêem sentado na porta de minha casa.
- Coitado! Seria melhor morrer- É comum ouvir esta frase. Ou então, a mãe passando com o filho pela mão, naturalmente manifesta:
- Meu filho, se você não obedecer, vou te entregar para aquele homem feio.
Outras vezes, mulheres grávidas evitam olhar-me para que seus bebês que foram projetados perfeitos e saudáveis, não venham a ser iguais a esta bestialidade humana.
Minha consciência mais profunda está recebendo e percebendo tudo isso, porém presa dentro da cela que eu mesmo criei no passado, não pode reagir. Se sofro com isso hoje? É inevitável. Se me revolto? Não, a minha consciência sabe que é um mal necessário. Nas poucas vezes em que me é permitido "voar" para longe deste corpo eu já tenho caminho traçado. Vou me refugiar nos braços de Pai Tomé. Lá está ele, na sua humilde tenda, cantarolando ou assobiando, enquanto mexe nas suas ervas. Negro velho mandingueiro sabe quando chego, sente minha presença e trata logo de sentar-se em seu toco, acender o pito e com uma risada gostosa inicia a doutrinação. Conversamos por horas a fio e saio de lá me sentindo gente, apesar de tudo. Não sei quando foi a primeira vez que o visitei. Acho que na noite em que minha mãe foi àquele Centro de Umbanda, desesperada pois achou que desta vez a convulsão iria me matar. Ele estava lá, incorporado em outra pessoa e me deu seu "endereço".
Hoje, a cada visita que meu espírito faz ao bom negro velho, algo se modifica no meu corpo físico. Já consegui deixar de babar constantemente, melhorando assim meu aspecto. Até já sou capaz de chorar, sem fazer aquele grunhido horrível, vejam só! Tudo por conta das mandingas de Pai Tomé que por saber de minha verdadeira história, me ajuda com muito amor.
Precisou que eu quebrasse meu orgulho para aceitar tal ajuda, pois estou em colheita de um plantio desastroso. Em encarnação anterior, vivi como feitor de uma rica fazenda e com maldade cobrindo meu coração, além de outras coisas, eu era um verdadeiro matador de aluguel. Cheguei ao cúmulo de fazer filho com escrava para poder vender mestiço nas feiras do porto, como "escravo especial". Hoje estou tendo essa benéfica oportunidade e mesmo encarcerado num corpo limitado, com uma mente debilóide, de cor negra, aspecto físico sem nenhum atrativo, servindo de modelo do ridículo para muita gente, estou aprendendo que tenho muito mais do que mereço.
Um dia desses, chorei muito quando Pai Tomé me fez relembrar quem foi ele naquela minha desastrosa encarnação, e por momentos me senti muito mal, vindo a ter fortes convulsões no físico. Não fosse o bom velho me chamar à realidade, teria desencarnado para fugir...
Ele foi naquele passado um "mestiço especial" que eu vendera como escravo.
Não há nada mais doloroso do que a fúria de um remorso. Dores ou limitações físicas, são um pequeno nada para uma encarnação, diante de lembranças de nossos plantios infames. Pai Tomé, entre outras coisas me ensina o auto-perdão e sobre a bondade divina em nos dar um corpo físico aliado ao esquecimento. Mas me ensina também que esse "esquecimento" não pode servir como desculpa para novos erros. Por isso, somos levados em espírito durante o sono para verificarmos certos pontos que precisam ser revistos em nossa história. Ele me diz que nem sempre lembramos do aprendizado sonambúlico, mas que ele está registrado à nossa disposição, para uso em momentos propícios.
Me restam alguns anos ainda nessa vida, porém nem a dor, a pobreza e o desleixo de meus familiares é pior do que imaginar voltando sem ter expurgado esse lixo todo que agreguei no meu corpo espiritual. Quero a renovação e se essa me custa tanto, sei que o preço fui eu mesmo que estipulei. Nada me foi imposto.
Colheitas... de um plantio impensado. Apenas colheitas!
Após despedir-se agradecido, aquele menino voltou ao seu corpo físico que dormia no leito pobre onde nascera, deixando-nos emocionados e calados. Todos retornamos aos nossos lares pensativos, refletindo sobre o que ouvíramos naquela noite.
Em ocasião posterior, o caso foi comentado e alguém nos propôs que deveríamos solicitar ao Pai Tomé um atendimento apométrico para o menino, uma vez que estando encarnado, isso possibilitaria uma melhora dos sintomas físicos. Com as técnicas decoradas, já deduzimos que tratando seu Corpo Astral, por ser ele o Modelo Organizador Biológico, poderíamos quem sabe, melhorar sua aparência. No final do debate, antes do encerramento sentimos forte cheiro de ervas e imediatamente Pai Tomé apresentou-se através de um médium e nos esclareceu:
- “Pai velho admira e abraça os filhos pela boa vontade demonstrada em auxiliar o meu menino. Mas posso afirmar que a tentativa seria muito proveitosa em espírito renitente na aceitação do resgate cármico a que se impôs, o que não acontece com ele. Como viram, meu menino está espiritualmente lúcido e aceitando a colheita. Seu Corpo Astral, por ser constituído de matéria moldável, foi plasmado em encarnação anterior por seus próprios atos insanos. Sempre é assim meus irmãos. Enquanto na carne, nossos atos e pensamentos modelam a nova encarnação, além de nos conduzir no após morte para estância de luz ou trevas. Deus não castiga ninguém, disso sois sabedores, Ele apenas nos deu o livre-arbítrio e todas as oportunidades de escolhas nos são colocadas à frente durante uma vida. Não nos faltará assistência espiritual e mesmo que seja através da dor, o expurgo se faz necessário para drenar do agregado espiritual os ácidos ali impregnados.
Nossos pensamentos modelam o nosso futuro Corpo Mental, nossas emoções o Corpo Astral e assim quando reencarnamos trazemos gravados em nossos átomos aquilo que precisa ser melhorado. Por isso surgem as dificuldades a serem vencidas, e não haveria mérito se aqui estivéssemos só para sofrer sem que isso trouxesse alguma lição e aprendizado. Essa drenagem se dá através do nosso Corpo Etérico que intermediando o Corpo Físico e o Corpo Astral, atua como usina recicladora através do trabalho dos nosso Chácras, repassando para o Corpo Físico que age como mata-borrão. Todas as doenças, sejam físicas ou psíquicas nada mais são que limpeza de nosso corpo espiritual como um todo. Por isso aconselho os filhos dessa Seara para que sempre respeitem as leis em qualquer atendimento ou ajuda a que forem induzidos. Procurem sempre verificar se existe interesse e vontade em receber essa ajuda da apometria, seja pela pessoa necessitada se essa estiver consciente, ou por parte de familiares quando esse estiver incapacitado de raciocínio próprio, para que não ultrapassem a barreira do livre-arbítrio, contrariando assim as Leis Divinas. Sois sabedores que Apometria é manipulação energética, portanto “magia”. E magia é coisa séria meus filhos, assim como ela nos dá o poder de provocar uma modificação na matéria, através do poder mental, sendo regida pela lei da causalidade produzirá sempre um efeito, seja imediato ou tardio. Existem coisas no Universo de meu Deus que podem e devem ser mudadas, mas sempre respeitando a vontade e exigindo esforço próprio de cada criatura ligada ao fato. A oportunidade de ajuda que nos faculta a Apometria vem trazer alento e apressar a evolução dos homens acomodados que estão no ir e vir na carne, e que embora alertados constantemente pela dor torturante, tardam em realizar as mudanças. Porém, esse “poder” está sujeito e deve sempre ser colocado à luz da razão, nunca querendo realizar “milagres” que possam comprometer o trabalho laborioso do grupo, adquirindo com isso um carma coletivo. O equilíbrio e a compreensão de limite, aliados à sabedoria e o amor serão os temperos que farão sempre com que os filhos possam auxiliar sem se macular.”
Mais uma vez a lição do bom amigo espiritual colocada com tanta humildade e sabedoria, fez com que vários membros do grupo que ainda tinham preconceito com a presença dos pretos velhos nos trabalhos apométricos, repensassem sobre isso.

terça-feira, 20 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

19 DE ABRIL/HOMENAGEM CARINHOSA/COM MUITO RESPEITO,AOS ANCESTRAIS ÍNDIOS!


Somos filhos da terra cor de urucum.
Dos sons do igarapé e da força do jatobá.
Das águas do Araguaia, do Tapajós, do Iguaçu.
Somos filhos do sol de Kuaray, da lua de Jaci.
E da chuva que semeia o guaraná, a pitanga e o aipim.
Somos filhos dos mitos.
Do uirapuru e seu canto, do vento e do pranto.
Guerreiros, fortes, sábios.
Somos Ianomânis, Guaranis, Xavantes, Caiabis.
E o que somos nunca deixaremos de ser.
Uma homenagem para o dia 19 de abril o Dia do Índio.
Abraços.
Autora: Zeli Poa
(Jornal Zero Hora)
e somos filhos também...
DE TUPIS...TUPINAMBÁS...Linda e verdadeira homenagem,irmã Zeli!compartilho com todos amigos!e amigas!
com carinhos,
bjs
RONITA

19 DE ABRIL/DIA DO ÍNDIO/HOMENAGEM COM MUITO RESPEITO E AMOR!!


Ache outros vídeos como este em RBU - Rede Brasileira de Umbanda

domingo, 18 de abril de 2010

NÃO NOS DEIXEMOS DESESTIMULAR/AUTORIA RONALDO ADONAI


No nosso aprendizado diário, na caminhada necessária para a evolução, nós encontramos empeços variados ao longo do caminho, que parecem destinados a nos desanimar no longo percurso.

Muitas vezes nós encontramos os chamados inimigos gratuitos, os amigos faladores que nos deixam em situações difíceis.

Outras vezes nos deparamos com enfermidades físicas, com as deficiências de caráter de tanta gente, o que nos provocam profunda tristeza, pois são companheiros que não movem uma palha em nosso favor, embora ocupem nosso tempo sempre que encontram a mínima dificuldade.

Temos à sua volta a inflação que cresce e os ganhos materiais que parecem não acompanhá-la, o que nos faz pensar que quanto mais trabalhamos menos ganhamos e gastamos mais.

Nós costumamos ver desmoronar os mais acalentados sonhos domésticos, sem nos sentirmos no direito de fugir.

Desmoronam os anseios do cônjuge atencioso e afetuoso; dos filhos estudiosos, responsáveis, respeitosos; da família companheira capaz de suprir-nos de energias nas horas apertadas para o nosso coração.

Como se não bastasse, ainda surge a indiferença que nos faz sentirmo-nos “solitários” no mundo, sem qualquer apoio ou sustentação moral.

Contudo, seja qual for a luta que nos caiba, seja qual for o testemunho que tenhamos de enfrentar, não nos deixemos desestimular, não nos permitamos o abatimento.

Nós não somos vítimas da vida.

Encontramo-nos unicamente em processo de reeducação, tendo oportunidade de acertarmo-nos com a vida que um dia desrespeitamos em vários de seus aspectos.

Nós que conhecemos Jesus, ou que um dia ouvimos sobre a Lei de causa e efeito, devemos raciocinar que o bem ou o mal semeado na vida, na vida será colhido, e o nosso desconsolo ou o nosso desalento em nada colaborará para a resolução dos nossos “problemas”.

Nós deveremos, então, aprender a analisar melhor as situações pelas quais tenhamos que passar. Deveremos aprender a perdoar, a compreender, a respeitar diferenças, a falar menos, a penetrar melhor as razões das coisas, a condenarmos menos, a sermos mais indulgentes.

O tempo implacável não pára. Assim, se nós o aproveitarmos para aprender a crescer e ser feliz, ele nos abençoará com expressiva claridade.

Caso o desperdicemos, recolhendo-nos à maldição do desânimo ou à fuga, verdadeiramente teremos lançado fora o mais expressivo tesouro que nos é oferecido pelo Criador, para que nos façamos ricos e felizes: o tempo.

Não nos percamos nas teias do desestímulo. Confiemos sempre em Deus, que nos dá sempre o melhor, dando-nos chances de brilharmos e sermos felizes.


Os obstáculos que surgem no nosso caminho, não são para impedir nossos passos, são desafios para serem superados.

Cada vez que conseguimos vencer uma dificuldade, saímos dela mais fortalecidos e mais confiantes.

Assim, não nos deixemos, jamais, desestimular em circunstância alguma, pois Deus confia no nosso poder de vencer os impedimentos e vencermo-nos a nós mesmos.








O caminho que pode ser seguido
não é o Caminho Perfeito.
O nome que pode ser dito
não é o Nome eterno.
No principio está o que não tem nome.
O que tem nome é a Mãe de todas as coisas.

Namastê!

ad
RONALDO ADONAI

ESCUTA ALMA QUERIDA!/CHICO XAVIER /POR ESPIRITO DE MARIA DOLORES


Escuta, alma querida!...
Se alguém te apedrejou o coração,
Não plantes ódio na alma contundida,
Nem pranteies em vão...
Sustenta, no caminho da esperança,
O perdão por dever,
Não te dês à vingança...
Esse alguém vai viver.


Dá sublimado amor que o mundo não descreve,
E, se alguém te despreza com mentiras,
Não repliques, de leve,
Nem lamentos profiras;
Segue à frente, na paz em que te escondas,
Abraçando a humildade por prazer.
Por maior seja o insulto, não respondas...
Esse alguém vai viver.


Seja onde for, se alguém te suplicia,
Sob golpes brutais,
Não reclames, não percas a alegria,
Nem te azedes jamais!
Acende a fé no peito sofredor
E procura esquecer.
Infeliz de quem ri na capa de agressor!...
Esse alguém vai viver.


Escuta, alma querida!...
Quem ofende ou se põe a revidar
Atira fogo e lama à própria vida,
Compra fel e pesar.
Cultiva a compaixão serena e boa,
Envolve todo o mal em bem-querer.
Ai daquele que fere ou que atraiçoa!...
Esse alguém vai viver.


(Francisco Cândido Xavier por Maria Dolores. In: Antologia da
Espiritualidade) (

SE SOFRES,É ILUSÃO!LIBERTE-SE!!


''enquanto voce não parar de olhar para o que é dos outros,nunca terá nada de seu...isto é verdadeiro,em todos patamares da vida...tire os olhos e o coração no que não lhe pertence,ou fique ai sofrendo...podes escolher...o que não é teu,nunca o será...ainda que leve para casa...rs rs...
esta é a verdade...o que pertence ao outro,assim já o é,para o crescimento do outro,para aprendizado,evolução do outro...sob medida...bom ou ruim,conforme seu merecimento,medianTe suas missões e capacidades na terra,ou mediante suas provas,quase sempre,determinadas em vidas passadas...e,neste caso,muitas vezes o que voce acha o maximo,pertencente ao outro,nada mais é do que a cruz dele...ou dela...e voce fica querendo pra voce...cai no velho ditado ''pegar a cruz do outro...''é bem por ai...Tudo ilusão...desperte...somente a ilusão consegue fazer alguém sofrer tanto assim...Comece a olhar para o que é teu...teu caminho,teu trabalho,teus filhos,teus pertences,teus sonhos..tua beleza...teu corpo..teu dinheiro..teus amigos...tua casa,tuas capacidades..Olhe para Deus...E se sacuda,sabe como?sacudido mesmo,estralando os dedos...quando olhar ou se atrair pelo que é do outro(a)...e diga assim...isto não é meu ...isto não é meu...e limpa a mente e o coração..Verás que sentir-se-á muito melhor...Olhe para seu namorado(a),seu marido,sua mulher...se sozinho(a),olhe para suas expectativas..de alguém para amar...alguém livre...assim como voce será,quando passar a agir e sentir assim,diferente...Olhe para seu caminho.este é em particular entre voce,e Deus...e somente então,o que lhe pertence em todos sentidos,fluirá,naturalmente...
Pare de mentir para si mesmo(a),e para os outros...
liberte-se...Que seu olhar e seu coração vibrem para os outros,e o mundo dos outros,com fraternidade,com misericordia...com luz de ternura,e mansidão de sinceridade...E que assim,todos seus caminhos,sejam abertos,para teus aprendizados,para tua evolução,para teu merecimento...A simples maxima,não faça aos outros o que não gostarías que fizessem a vós'...
RONITA

INIMIGO INTIMO


Inimigo Íntimo

Como esta você, meu filho? Já se deu conta de que a vida está passando e você ainda reclama de dificuldades, infelicidades e insatisfações.
Nosso estado de saúde íntima, meu filho, é o resultado de nossa programação mental e emocional. O que está ao seu redor, seja mau ou bom, é apenas a realidade criada a partir de suas próprias emoções, cujo reflexo também indica tudo aquilo que o incomoda no mundo.
Antes de entrar em contato com uma nova informação, você crê, alimenta diversas crenças particulares, construídas a partir de sua história até aquele instante. Assim, ao examinar um fato novo, ele se soma às suas convicções e a quem você é, o que acaba por provocar, em seu interior, a elaboração de sua visão pessoal, que geralmente é tida como a verdade acerca daquele episódio. A seguir, e somente então, sua mente projeta no mundo exterior essa idéia a respeito do ocorrido – a qual pode ser bem próxima da realidade ou bastante distante dela. Os homens do conhecimento, mesmo em meio a meus filhos, já falam bastante dessas coisas que nego aprendeu.
Portanto, quando você acredita que há algo de errado, meu filho, seu sistema orgânico, emocional e mental forja essa crença particular de tal maneira e com intensidade que impede você de ver outra coisa, a não ser aquilo que crê existir.
Quer ver? Você se levanta pela manhã acreditando que seu dia será um fracasso, que o sol não brilhou como você queria e que a chuva lá fora estragou ou vai estragar seu dia. Pinta a realidade de forma cinzenta. Naturalmente, o cérebro vai interpretar tudo de acordo com a crença imposta, e realmente, meu filho, o dia vai ser um drama de proporções compatíveis com as emoções que impingiram em seu cérebro a visão dramática que você teima em sustentar.
Para outra pessoa, uma situação idêntica à que você crê incômoda ou geradora de infelicidade pode significar algo maravilhoso ou um a experiência única.
Na época do cativeiro, muitos negros, diante di inevitável – mas temporário – exercício da escravidão, lançaram-se à revolta, à vingança e passaram a vida a lamentar-se da situação a que foram conduzidos para a reeducação de suas almas. Outros, diante da mesma realidade, compreenderam imediatamente que não adiantava, naquele momento, lutar contra o inevitável. Tentaram, assim, tirar proveito da situação. Investiram no trabalho, embora continuassem sendo escravos; aperfeiçoaram seus dons e aprofundaram-se naquilo que já conheciam. Alguns negros, certamente influenciados por sua afinidade com a natureza, tornaram-se indispensáveis a seus senhores, em virtude de haverem se especializado no manuseio de plantas e ervas medicinais, beberagens e todo o conhecimento iniciático que conquistaram. Eram os médicos naturalistas mais experientes que se conhecia, naqueles tempos em que o serviço de saúde escasseava ou praticamente inexistia.
Ao aproveitarem a oportunidade para o aprimoramento de alguns aspectos de suas habilidades, granjearam respeito e, conseqüentemente, usufruíram de certas concessões oferecidas por seus senhores. Ou seja: transformaram a experiência dolorosa da escravidão em trabalho útil, traduzindo em qualidade aquilo que sabiam fazer. Por certo ainda permaneceram cativos por muito tempo, mas, ao contrário dos outros, revoltados e insatisfeitos, extraíram a dor e a riqueza possível e tiveram, com isso, maior liberdade de ação entre seus irmãos. Conquistaram, através de respeito e do trabalho, benefícios e melhores condições diante da comunidade com que conviviam e, mais ainda: tornaram-se indispensáveis para aqueles que se diziam seus donos. Mais bem tratados que os demais, gozavam de certas regalias, inclusive da possibilidade de ir e vir, pois os senhores conheciam sua dedicação e confiavam que não haveria fuga, pois aqueles negros tinham demonstrado fidelidade a eles.
Porventura eram melhores que os demais? Será que receberam da vida privilégios negados aos outros? De forma alguma, meu filho. O fato é que tais escravos, por certos espíritos mais experientes, resolveram adotar a atitude de extrair o melhor que a situação tinha a oferecer. Com resignação, mas sem conformismo, aceitaram o que a vida lhes outorgava naquele momento e procuraram olhar para aquele quadro com otimismo. De posse dessa mentalidade pacificadora, que não faz combater com a vida, mas a tem como aliada, acreditaram que era possível ver a escravidão como uma chance de se melhorar. Investiram de modo lento e persistente no aperfeiçoamento de si mesmos e de suas faculdades ou, dito de outro modo, na qualidade daquilo que sabiam fazer. Resultado: a vida recompensou seus esforços, proporcionando-lhes reconhecimento, e novas perspectivas se abriram para eles em sua comunidade.
Exemplos assim nos fazem repensar largamente nossas atitudes. Nego-velho vê que muita gente sofre antes do problema se apresentar. Criam uma imagem negativa e sofredora a respeito das questões mais simples do cotidiano e inventam um inferno particular para se queimarem de dor e revolta em suas chamas. Há casos em que certas pessoas “morrem” antes mesmo da morte chegar, só para depois descobrirem que todo sofrimento era produto de suas próprias crenças equivocadas acerca dos fatos, das pessoas e das circunstâncias.Quando ocorrem casos iguais a esse, em que a mente constrói uma realidade de sofrimento, o cérebro logo interpreta a mensagem como verdadeira e trata de transformá-la em algo palpável, embora somente o indivíduo que gerou tais idéias perceba as coisas de forma trágica. Essa situação, meu filho, é o verdadeiro cativeiro da alma, da mente e das emoções. Você permanece prisioneiro daquilo que acredita e das criações mentais que causam desilusão, dor e sofrimento. Tem cativeiro pior que esse? Nem no tempo da escravidão, quando nego-velho chorava e trabalhava debaixo dos desmandos dos feitores, havia tanto sofrimento quanto aquele que é gerado ela mente do homem quando acredita na desgraça, no fracasso e na derrota de si mesmo. Para esse tipo de cativeiro, meu filho, não adianta decreto, seja assinado pela Princesa Isabel ou por quem for. Nem mesmo um decreto assinado pelo Cristo com seu próprio sangue seria capaz de libertar meus filhos, se cada um não modificar conceitos e imprimir novo rumo às suas emoções.
A emoção interpreta os fatos que ocorrem a nosso redor ou dentro de nós de modo a dar cor e sabor àquilo que acontece no mundo. Se suas emoções estiverem comprometidas com essa visão mental de autopiedade, meu filho, transformando-o em coitado e boicotado em sua própria felicidade, então tudo o que o rodeia será colorido de acordo com esse estado. Por outro lado, se você resolve assumir sua posição na vida, dar a volta por cima e enfrentar os problemas, tendo-os na conta de desafios, e não de obstáculos para sua felicidade, suas emoções transformarão a mesma paisagem em algo mais atraente. Você encontrará mais sabor nas lutas e, dessa maneira, não se sentirá derrotado ou impedido de ser feliz. Tudo o que houver será considerado teste de paciência ou chance de aprimoramento, como um desafio para desenvolver capacidades, competências e alcançar maior realização interior.
Por isso meu filho, pare de se lamentar e erga a cabeça para o alto. Avante! Não seja o arquiteto de sua própria infelicidade nem alimente seu cérebro com imagens e programas de pessimismo.
Acreditar na própria derrota ou que as coisas estão erradas ou, ainda, que você não merece a situação é algo que se mostrará desastroso para você. Passe a crer na vida, em novas chances, em renovação e recomeço. Não é tão difícil recomeçar. Mas parece que você tem medo de novo, de aventurar-se, de prosseguir... A vida nos ensina a todos, mesmo aos desencarnados como nego-velho, que seguir em frente, tentar novamente e do modo diferente – em suma, recomeçar – é sinônimo de progresso, coragem e genialidade.
Temos de acreditar que é possível; que tudo está certo do jeito que é e que os desafios existem para que os enfrentemos, e não para serem convertidos em rosários de lamentações e lagrimas de autopiedade. Dê às suas emoções nova feição, com vistas a decodificar os fatos da vida de modo menos trágico. Viva com naturalidade e aprenda a apreciar a beleza da tempestade e da chuva tanto quanto a beleza do sol, do dia claro e da brisa suave. Tudo tem seu lado belo e seu valor – cabe a você descobri-los. Depende de você ainda, meu filho, que tons ganharão os eventos e as experiências; o mundo, enfim. Programe-se para a felicidade e otimismo: nego-velho sabe que vocês podem fazer isso. Não superestime as sombras, as trevas e a escuridão. Aprenda a tirar proveito de tudo com tranqüilidade emocional de alguém que é parceiro da vida.

Pai João de Aruanda pelo médium Robson Pinheiro - trecho do livro “Alforria”.

“NÃO ABANDONES TEU O POSTO DE SERVIÇO”


“NÃO ABANDONES TEU O POSTO DE SERVIÇO”




Reclamas veementemente das agruras e dificuldades do caminho para atenderes aos compromissos que te foram delegados pelo Alto, ante o posto de serviço que te foi confiado.
Sentes por vezes o desestímulo a te envolver diante das ingratidões que te chegam deixando-te questionamentos: será que vale realmente a pena continuar distribuindo o que me repassam espiritualmente diante de corações tão insensíveis com os quais me deparo?
Será que ninguém aprende nada?
Choras as incompreensões. .. quando não te achas alvo de uma trama bem urdida de intrigas e invejas dos que desejam te destruir.
Destruir o que? O que é imperecível?
Adotas uma postura de isolamento, buscando dessa forma estar protegido dos dardos peçonhentos que porventura te endereçem e que te ameaçem o teu equilíbrio físico, mental e espiritual.
Se permaneceres assim te desequilibrará s muito mais.
É junto do joio que o trigo floresce e não separado dele!
Reclamas, reclamas, reclamas...
Porventura já buscastes mudar a tua forma de mero expectador para te perguntares por que deténs um posto de serviço em tuas mãos?
Já passou pela vossa mente que tudo que vos acontece tem uma razão de ser para o vosso aprendizado moral?
Será que realmente largando teu posto de serviço encontrareis tranqüilidade para viver?
Pensa, pensa, pensa...
O Posto de Serviço - a Tua Aldeia - no qual te encontras, é o teu ponto de apoio!
É a tua âncora!
A tua tábua de sustentação!
Se com Ele caminhas assim; imaginas sem Ele?
Sacerdócio é cruz abençoada de progresso e assim deve ser entendido!
Nenhum mentor diz para o seu filho que a caminhada será fácil, sem subidas ásperas, árduas e íngremes! Porém sempre afirmamos que nunca será impossível!
Então para que tanto desalento?
Para que tanto dissabor?
Quando assumiram às responsabilidades vocês podiam até não conhecer o percurso todo, como de fato ainda não o conhecem, mas, enganados não estavam!
Coloquem vossos olhos para o Alto; o sorriso nos lábios; a alegria no coração e o serviço nas mãos e nos pés, porque é assim que age um guerreiro, sempre pronto e de atalaia para servir e se na Aldeia de cada um de vós algum filho não vislumbra esse pensamento, é porque ainda não se permitiu forjar o guerreiro íntimo! Sendo o tempo o melhor remédio para tudo.
Silencia as reclamações. Polícia o teu verbo e continua a caminhada.
As folhas caem das árvores, mas, a terra as transforma em adubo para que os pássaros voltem a cantar em uníssono.
Então, filhos e guerreiros de Pery sirvam e passem. Não se detenham na marcha!
A beleza do caminho está nas sementes que são lançadas e na hora certa elas florescerão.
Não parem para reivindicar concessões. Porém diminuam o passa quando for necessário para melhor servir.
E esse caboclo mais uma vez vos afirma: “não abandones o teu Posto de Serviço” pois, nada fica a esmo. E se nenhuma nau fica à deriva, quem dirá uma Aldeia?
Saravá Seu Ogum Rompe Mato!
Saravá Iabamane!
Oxoce os abençõe!


Caboclo Sete Flechas das Matas, um guerreiro de Pery.
Mãe Luzia Nascimento
Em, 15 de abril de 2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

HISTÓRIA SOBRE SÃO BENEDITO


O caso mais extraordinário acontecido durante o tempo em que Frei Benedito governou o convento, foi uma multiplicação de pães. É um fato onde se vê claramente a presença de Cristo na pessoa de Benedito, acudindo os pobres e famintos.

Apesar de o convento também viver de esmolas, a ordem do Guardião ao irmão porteiro era clara: nenhum pobre sem atendimento. Nenhum mendigo despachado sem uma ajuda. Assim queria Benedito que se vivesse o preceito de Jesus: "Dêem de graça o que de graça receberam" (Mt 10,8).

Certa vez, ao distribuir pão aos pobres, o porteiro, Irmão Vito da Girgenti, percebeu que a fila ainda era grande, e que na cesta restavam apenas poucos pães, que davam exatamente para os membros do convento. Encerrou, então, a distribuição e despachou o resto dos pobres. O fato chegou ao conhecimento do Guardião, que intimou o bom porteiro a correr e chamar de volta os pobres que ficaram sem pão.

- "Dê aos pobres tudo o que estiver na cesta, disse Benedito, que a Providência divina achará um meio de socorrer-nos".

Os pães, naquele tempo, geralmente eram feitos em casa. Não havia essa facilidade que temos hoje de correr a uma padaria na esquina. Aqueles pães doados aos pobres eram, então, os últimos, até o cozinheiro ou padeiro do convento fazer mais. Por isso o irmão porteiro ficou meio espantado com a ordem recebida, mas obedeceu. Chamou os pobres e pôs-se a distribuir-lhes os pães restantes. Foi aí que percebeu que alguma coisa de extraordinário estava acontecendo ali. O pão da cesta não se acabava; quanto mais ele tirava, mais aparecia. Foi uma nova multiplicação de pães, como aquela de Jesus no deserto. Espanto e alegria encheram o coração do porteiro. Terminada a distribuição, outra maravilha; na cesta ficaram exatamente aqueles pães que ele havia reservado para a comunidade. Nenhum a mais nem a menos.

Não temos outros São Benedito, mas o exemplo dele, bem como de Santo Antônio, fazem que, anualmente, apareçam muitas almas caridosas que distribuem milhares de sacos de pães aos pobres, em memória do gesto desses santos.

ORAÇÃO A SÃO BENEDITO
São Benedito, filho de escravos, que encontrastes a verdadeira liberdade servindo a Deus e aos irmãos, independente de raça e de cor, livrai-me de toda a escravidão, venha ela dos homens ou dos vícios, e ajudai-me a desalojar de meu coração toda a segregação e a reconhecer todos os homens por meus irmãos. São Benedito, amigo de Deus e dos homens, concedei-me a graça que vos peço do coração. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém. QUE ASSIM SEJA.

São Benedito rogai por nós !
Related Posts with Thumbnails