RELEMBRANDO CHICO

Relembrando Chico.

Foi assim que certa noite, em sua residência, na companhia de nossa Ondina e alguns companheiros, tivemos a oportunidade de abordar, em conversa informal com o queridíssimo irmão, Chico Xavier, as dificuldades e problemas, muitas vezes avolumados no seio dos grupos.

Desfechada, então, ao coração sempre sensível do companheiro maior, a nossa preocupação, com a amabilidade habitual, orientou:

- É preciso passá-los (os problemas) pela peneira da paciência com o aro da humildade.

Mais adiante, Chico - como sempre trabalhando e conversando - lembrou ainda sobre tais dificuldades:

- Assim como as cidades geralmente possuem as avenidas marginais ou periféricas, também os problemas oferecem sempre vias pacíficas de solução.

Finalmente veio, após outras considerações do querido amigo, mais uma que registramos:

- Emmanuel tem-nos lembrado sempre da necessidade de cada um de nós de não nos convertermos em terminal de trevas.

Querendo certamente dizer que a gente deve ouvir a palavra trevosa, sem passá-la adiante.