(trecho do Livro ''A Voz do Silêncio'' /Helena Blavatsky)


''Procura aquele, que te dará o ser, na Sala da Sabedoria, a
sala que está para além, onde todas as sombras são desconhecidas e onde a luz da verdade brilha como uma glória imorredoura.
Aquilo que é incriado está dentro de ti, discípulo, assim como
está naquela sala.
Se queres possuí-lo, e unir as duas coisas, tens de despir os teus negros trajes de ilusão.
Abafa a voz da carne, não deixes que qualquer imagem dos sentidos se entreponha entre a sua luz e a tua, para que assim as duas se fundam em uma.
E, tendo aprendido a tua Ajnana , abandona a Sala da Aprendizagem.
Essa sala é perigosa pela sua beleza pérfida, e só é precisa para a tua provação. Acautela-te Lanu, não vá a tua Alma, entontecida pelo brilho ilusório, demorar-se e enredar-se na sua luz enganadora.
Esta luz brilha na jóia do grande enganador (Mara) .
Enfeitiça os sentidos, cega o espírito e deixa o descuidado naufragado e sozinho.
A borboleta atraída para a chama da tua lâmpada noturna está
condenada a ficar morta no azeite. A alma incauta, que não pode defrontar-se com o demônio escarninho da ilusão, voltará ao mundo escrava de Mara.
Olha as hostes das Almas. Vê como elas pairam sobre o mar
tempestuoso da vida humana, e como, exaustas, sangrando, de asas quebradas,caem, uma após outra, nas ondas encapeladas.
Batidas pelos ventos ferozes, perseguidas pelos vendavais, são arrastadas para os sorvedouros e somem-se
pelo primeiro grande vértice que encontram.
Se, passando pela Sala da Sabedoria, queres chegar ao vale da felicidade, fecha, discípulo, os teus sentidos à grande e cruel heresia da separação, que te afasta dos outros.
Que aquilo que em ti é de origem divina não se separe,
engolfando-se no mar de Maya , do Pai Universal (a Alma), mas que o Poder de Fogo se retire para a câmara interior, a câmara do coração, e o domicílio da Mãe do Mundo.
Então do coração esse poder subirá até à sexta região, à região média, ao lugar entre os teus olhos, quando se toma a respiração da Alma-Única, a voz que enche tudo, a voz do seu Mestre.
É só então que te podes tornar um "que anda nos céus" , que
pisa os ventos por cima das ondas, cujo passo não toca nas águas.
Antes que ponhas o pé sobre o degrau superior da escada, da
escada dos sons místicos, tens de ouvir de sete maneiras a voz do teu Deus interior.
(trecho do Livro ''A Voz do Silêncio'' /Helena Blavatsky)